30 dezembro 2010

Os Primeiros Passos do Caminho



Olá, meus estimados amigos e leitores!

Hoje é o penúltimo dia de 2010 e é bastante comum as pessoas ficarem ansiosas com a chegada de um novo ano. Mas de nada adianta fazer promessas para serem quebradas. Até quando a humanidade vai continuar deixando para depois o que deve ser feito agora? 

No meu caso, eu adiei indefinidamente o momento de mudar. Existem palavras muito sábias que dizem que as pessoas mudam pelo Amor ou pela Dor, e comigo está bem claro que foi pela Dor.

Precisei sofrer por mais de um ano as dores da matéria (cirurgias, injeções) e do espírito (angústia, desespero, depressão) para entender o que estava  acontecendo...

Retomando minha história:

Eu já vinha tendo um contato com a Dirce através de e-mails. Ela sempre me mandava mensagens belíssimas, era um apoio muito especial naquela conturbada fase. Mas foi especificamente no início do mês de abril que ela me ligou e disse que agora tinha condições de me ajudar. Sim, ela também precisou passar por uma reforma íntima, e só quando atingiu maior elevação pôde estender a mão para me socorrer. 

Aqui cabe uma explicação: imagine que o ser humano é como uma bateria. Essa bateria pode emanar e absorver energias e, quando a carga existente não é forte o bastante, tem pouca utilidade. Então, a Dirce precisou aprender essa dinâmica. Precisou se recarregar positivamente para poder prestar auxílio. 

O primeiro passo foi uma espécie de entrevista, pelo MSN, no qual perguntas muito bem dirigidas foram realizadas. Algumas perguntas me soaram íntimas demais, mas eu sabia que era inútil ocultar as verdades. A Espiritualidade sabe até aquilo que escondemos de nós mesmos.

A partir desse dia, marquei de conversar com ela diariamente, no mesmo horário. Contava se tinha tido algum sonho estranho, pesadelos, enfim, ia relatando fatos importantes da minha rotina. 

Paralelo a isso, fui lendo o material que ela me enviava. Quando surgiam dúvidas, eu perguntava e sempre recebia respostas satisfatórias. Foi incrível, toda a carga de tristeza que me envolvia, como num passe de mágica, desapareceu. Me sentia leve e, conforme ia lendo e aprendendo, passei a enxergar minha doença sob outra ótica.

Porém, dentro de um mês, toda a calmaria se modificou. Primeiro porque eu abri brechas, com meu implacável medo de ter que voltar a fazer quimioterapia e depois porque isso é algo que geralmente acontece. É o momento mais difícil na vida daquele que tomou a decisão de mudar: se manter no caminho.

Em minha casa enfrentei sérias dificuldades, pois para meus familiares não era perfeitamente compreensível o que ocorria comigo. Mas quando os resultados começaram a aparecer, através dos exames tomográficos, eles tiveram de dar o braço a torcer. Realmente estava sendo feito um milagre em mim!

Um fato interessante é que a Dirce havia falado que no mês de junho eu iria à Santa Catarina, para passar aproximadamente 30 dias e intensificar o tratamento. Mas chegou junho, passou julho e agosto e nada dessa viagem acontecer!

Em meados de agosto eu já não me sentia ansiosa com a ideia da viagem, pois eu já havia entendido que deveria aprender a ter paciência. A duras penas fui enxergando que de nada adiantaria ter ido naquele mês, quando eu não tinha  quase nenhum preparo para encarar toda a avalanche de informações que estavam por vir.

Em setembro, porém, comecei a sentir algo diferente. Uma sensação muito forte de que a viagem estava perto de acontecer. Comentei com a Dirce e a Espiritualidade confirmou: havia chegado o momento.

No dia 10/09 eu desembarquei na capital catarinense. Trazia na mala muita alegria e a esperança de ser curada. Fui acolhida como uma verdadeira filha, e rapidamente começaram os trabalhos comigo.

Confesso que não foi nada fácil. Talvez vocês pensem que eu só me mantive firme porque não tive escolha, afinal, eu estava doente. Mas eu lhes mostrarei que as razões são bem mais complexas. Não nego que o fato de eu estar me curando pesou bastante, sem dúvida. Entretanto, existe algo muito mais sublime nisso tudo: minha transformação. Em outras palavras: mesmo curada, eu ainda iria optar por este caminho, estreito e cheio de pedras. 

Por que? A Paz e o Amor que sinto são diferentes de quaisquer outras sensações que eu já tenha experimentado nessa e em outras vidas. 

Na próxima postagem vou relatar as dificuldades que enfrentei nessa viagem e porque eu quase desisti de tudo. 

Desejo a todos vocês uma excelente passagem para 2011, com muita alegria, luz e amor. 

23 dezembro 2010

Por que?

Olá, meus queridos amigos e leitores!
Já estou morando em Florianópolis e o tempo que fiquei sem escrever foi muito produtivo. A quantidade de coisas que tenho aprendido é inumerável. Recebi a incumbência de compartilhar com vocês uma boa parte dos conteúdos que me foram passados e aqui vou eu. 

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que fiquei muito contente com a repercussão que a postagem anterior alcançou. O objetivo é justamente esse, tocar o coração das pessoas para elas comprovarem que milagres realmente acontecem.

Mas a pergunta que fica no ar é a seguinte: Por que Deus fez um milagre em minha vida?


A resposta envolve vários fatores, mas o principal dentre eles é a Reforma Íntima.

E o que significa isso?

"[...]Colocar em prática a modificação de certas atitudes, pensamentos e emoções negativas.
Revitalizar o ânimo e modificar as imagens do inconsciente que carregam tristeza, rancor, ódio, mágoa e medo são uma maneira de reorganizarmos essas emoções que nos fazem tanto mal. Esse recondicionamento íntimo não se refere apenas ao ganho de virtudes interiores, como amar e perdoar, mas à conquista do comando consciente de nós mesmos e à descoberta dos potenciais que temos na mente, na vontade e na emoção.
Para conseguir isso, não bastam leituras e conhecimentos, é necessária a ação programada e permanente, isto é, disciplina e controle dos impulsos. Caminhar com passos firmes assegurados na fé é imprescindível, utilizar-se da prece durante a jornada é indispensável, mas estar atento ao lema “orai e vigiai” é prudente e de bom senso."*

Na prática, é ainda mais complexo.

Quando me vi diante desse desafio, me questionei porque deveria mudar. Afinal, eu nunca me considerei uma pessoa ruim, imoral, ou algo assim. Então, meu dilema era: porque preciso modificar meu jeito de ser e agir?

Até a data de novembro de 2008 eu era metaleira. Costumava usar muitas roupas pretas, ouvir Rock and Roll e Heavy Metal. Nunca usei drogas ou ingeri bebidas alcoólicas e isso era considerado um paradoxo por muitos que compartilhavam o mesmo estilo. Era uma estudante de idiomas e universitária bem esforçada. Sempre gostei de me engajar em projetos da faculdade e meus pais se preocupavam com minha rotina estressante. Eu tinha uma vida típica de adolescente, saía com meus amigos, fazia coisas normais. 

Quando foi diagnosticado que eu estava com câncer, ouvi comentários do tipo: 
"Por que uma pessoa tão jovem, que nunca fez mal a ninguém, foi ficar com uma doença tão grave como essa?" 

Meus pais, por sua vez, associaram a doença à minha antiga rotina:
"Tá vendo, Mara? Foi querer abraçar o mundo, fazer mil coisas ao mesmo tempo... Todo aquele stress só te fez mal."

Apesar de todas as especulações, nada podia modificar os fatos: eu estava com um tipo de câncer muito agressivo e, no espaço de um ano e três meses, o que não me faltou foi tempo; tempo para refletir acerca dos meus breves 20 anos.

O lado curioso de tudo isso é que eu não sentia falta da minha antiga vida. Quando eu percebi que não era um estímulo suficientemente forte ficar curada para retomar a agitada rotina, perdi a vontade de viver. Ora, para que lutar por algo que não me deixava mais feliz? Tomei a decisão, polêmica, de desistir da vida. Em julho de 2009 eu estava com a ideia fixa de que não sairia viva da sala de cirurgia. Porém, para minha surpresa, não foi o que aconteceu. Eu sobrevivi.

Depois de muitas lágrimas de lamentação, tive de encarar a realidade. Se por algum motivo eu ainda continuava entre os encarnados, minha existência não poderia mais ser como antes. 

Numa determinada noite, todos já estavam dormindo, eu clamei por ajuda. Não contive meu choro ao falar com nosso Criador. Eu pedi a minha cura, de coração e em verdade, e fiz um compromisso com Deus: eu decidi que iria dedicar o resto dos meus dias a ajudar meu semelhante.
  
Como vocês já sabem, ELE me atendeu. Na próxima postagem vou relatar a continuação dessa história.

*Para ler o artigo completo sobre cura espiritual e reforma íntima: clique aqui.

02 dezembro 2010

Minha Transformação


Vou lhes contar um segredo:

Quando eu viajei à Santa Catarina, carinhosamente fui apelidada de Milagre

E a cada dia que passa constato mais o quanto esse nome me cai bem.

Terça-feira (30/11/10) fui à minha última consulta no Hospital do Câncer, levando as tomografias e os exames de sangue que fiz recentemente. Fui atendida pelo meu oncologista de sempre e um médico novato, que me conheceu no início deste ano. 

As notícias foram maravilhosas! Meu médico falou que os marcadores (que são os indicadores de tumores no organismo) estavam perfeitos, não acusavam a existência de nada errado comigo. Ainda aparecem duas manchas nas imagens tomográficas, indicando lesões, só que elas estão calcificadas (cicatrizadas), o que significa dizer que meu corpo não corre risco.

Esse é um fenômeno raríssimo e meu médico deu duas sugestões para a continuidade do meu caso:

1ª) Fazer uma Ressecção, ou seja, retirar cirurgicamente as partes calcificadas.

2ª) Fazer a Observação Vigilante, que na prática é continuar o que já venho fazendo, pois está dando super certo.

Uma outra frase dita pelo meu médico foi igualmente maravilhoso ouvir:

"Eu não indicaria mais quimioterapia pra você. Em seu tratamento obtivemos resposta máxima através dela."

Nossa, como foi bom estar no consultório naquele momento. Todas as dores e lágrimas, todos os lamentos e tristezas valeram a pena. Deus me mostrou que nunca sofremos em vão. Quando eu estava desanimada, pensando somente em morrer, foi justamente quando eu clamei de coração e em verdade por uma resposta e então veio a Luz! As provas estão aí, quem tem olhos que veja. Deus nunca abandona um filho, nós é que muitas vezes nos distanciamos DELE!

Meus amigos, preciso dizer a vocês que é verdade, eu mudei mesmo. E todas as mudanças estão transformando minha vida, minha perspectiva de futuro, minha forma de enxergar o mundo.

Se você que lê essas palavras está passando por alguma doença, ou sofre algum tipo de perturbação inexplicável, ou ainda qualquer outro problema que necessite de ajuda, eu peço, por favor, entre em contato comigo. Talvez eu possa indicar o caminho para o alívio de suas dores.

Deixe um comentário com um breve resumo de sua história e o e-mail para que eu possa responder. A Dirce, que se tornou uma verdadeira mãe pra mim foi a responsável pelos meus primeiros passos e é ela quem irá conversar com você e te ajudar através de um tratamento espiritual.

Comigo se deu através de cirurgias espirituais, água fluidificada, massagens energéticas com óleo de amêndoas, chá do Ipê Roxo (em pequenas doses, pois o efeito dele é forte se não for tomado corretamente, portanto, nada de tomar por conta própria, hein!?), magnetismo e, principalmente, uma reforma íntima de minha parte.

Se dá resultado? Basta ler minhas postagens para tirar suas conclusões.

Eu já estava num estágio onde meu médico não sabia mais o que fazer. Desde dezembro de 2008 que eu vinha passando por cirurgias e quimioterapias, e nada resolvia. Mas quando eu finalmente recebi essa ajuda e me esforcei para fazer as modificações em mim (algo que ainda tem que ser continuado, inclusive), os tumores pararam de crescer e foram reduzindo até se calcificarem, como contei logo acima.

Se tem uma coisa que a Espiritualidade sempre me disse é: A Cura está em você. E hoje eu sei que isso é a mais pura verdade.

Então, se você ou alguém que você conhece precisa de ajuda, deixe um comentário e eu responderei o mais rápido possível.

Essa graça tem que ser espalhada!

A seguir, minhas mudanças retratadas em fotos:


Só tirei essas fotos porque tinha fé
 que um dia elas seriam apenas uma lembrança. 
Me esforçava para sorrir.
Nunca desprezei tanto o espelho.  

Hoje eu olho essas imagens e agradeço a Deus pelo Milagre!



  
Essa é minha história, que eu nunca vou cansar de contar!

30 novembro 2010

Meu voo é o próximo



Estou indo embora minha gente. Não posso ver todos que gostaria, pois não há tempo. Mas não se preocupem, quando eu voltar para fazer visitas, irei rever todos aqueles que não pude encontrar nessa ocasião. Não quero fazer uma grande despedida, não quero lágrimas desnecessárias; estou indo para um lugar melhor (não estou menosprezando Fortaleza, digo que é um lugar melhor, mas isso diz respeito a mim, pois lugar bom é aquele onde nos sentimos bem). Estou me curando em outros ares, e é pro Sul que eu vou - assim como iria para qualquer outra região, desde que lá eu pudesse ter saúde e lucidez.


Só para os curiosos: Sim, estou deixando faculdade, cursos de idiomas, casa... Tudo. Daqui pra frente é vida nova!

Alguns nem sabiam que eu tinha voltado à Fortaleza e agora só terão a informação de que minha passada pela Cidade do Sol foi rápida e discreta. Mas é isso, eu vim para fazer exames e resolver toda a documentação para minha mudança. Agora que já acertei os ponteiros com tudo, é hora de partir.

Não há tempo a perder! 


29 novembro 2010

Devaneios

Não tenho conseguido organizar minha mente nos últimos dias. Muita coisa tá acontecendo ao mesmo tempo, são decisões a tomar, uma série de trabalhos a fazer, leituras a continuar, pessoas com as quais conversar. Me pergunto se tenho toda essa capacidade.

Nos últimos dias eu tive de me posicionar diante de muitos fatos perante os quais eu sempre havia sido indecisa, deixava para pensar a respeito mais tarde, na ingênua ilusão de que o mais tarde nunca chegaria. Mas chegou, e eu tive que ser firme. Não foi fácil...

Com certeza essa postagem está um tanto confusa e eu mesma, futuramente, encontrarei dificuldades para interpretá-la. Só preciso de um espaço para jogar meus devaneios, pois creio que se não fizer isso vou acabar enlouquecendo.

Vocês já se sentiram completamente perdidos, solitários, incompreendidos? Já sentiram que estavam no lugar errado mas, quando tiveram a oportunidade de fugir - a porta estava escancarada - simplesmente recuaram, com medo do que iriam encontrar lá fora?

Ou então tiveram vontade de falar mas as palavras eram incapazes de dizer o que vocês sentiam? E quanto mais tentavam articular as frases, mais parecia que estavam dando voltas sobre o mesmo ponto, sem sair do lugar. E ainda sentiram-se uns inúteis, idiotas, que sequer conseguem dizer o que pensam?

Por que nosso vocabulário é tão pobre?! Por que ainda não desenvolvemos a comunicação por pensamentos? 

Por que tenho que calar quando gostaria de dizer muitas coisas? E as palavras ficam engasgadas, mais e mais vezes. Não adianta falar. Eu sei que não me entenderiam. Sei que iriam rir de mim, julgar minhas palavras, me olhar torto e internalizar: Nossa, como a Mara mudou.  


A cada mudança eu percebo que algumas pessoas ficam pra trás. Não foi eu que as deixei: elas é que não me acompanharam.


12 novembro 2010

Hereafter - Além da Vida

"Além da Vida conta a história de três pessoas que são afetadas pela morte de maneiras diferentes. George é um operário norte-americano que tem uma conexão especial com o além. Em outro ponto do planeta, a jornalista francesa Marie acaba de passar por uma experiência de quase-morte que muda sua visão diante da vida. E quando Marcus, um garoto londrino, perde uma pessoa muito próxima, ele começa uma procura desesperada por respostas. Enquanto cada um segue o caminho em busca da verdade, suas vidas se encontrarão e serão transformadas para sempre pelo que eles acreditam que possa existir, ou realmente exista - a vida após a morte." 


Esse filme será lançado em janeiro de 2011 aqui no Brasil, e já estou ansiosa por assisti-lo. 

Clint Eastwood + Matt Damon + Temática Espiritualista= motivo mais do que suficiente para ir ao cinema!


Créditos da Sinopse ao site do Canal Verdes Mares.

07 novembro 2010

Cura Espiritual

Amigos, quero divulgar aqui dois blogs dos quais tenho participado e contribuído com algumas atualizações. São blogs muito ricos, recomendo que visitem com calma, passeiem pelas postagens e leiam aquelas que lhes chamarem a atenção.

Para quem quer entender o que está acontecendo comigo, como estou conseguindo me curar de um câncer grave sem precisar continuar com as quimioterapias, dedique-se a essas leituras pelo menos alguns minutos por dia. 


O Conversando com os Espíritos possui artigos relacionados ao Mundo Espiritual como um todo. Tem vários temas e mensagens publicadas que são de interesse abrangente. Vale a pena visitar.

Já o Doença, Dor e Cura Espiritual é inteiramente voltado à temática das Curas Espirituais. Desde explicações referentes aos motivos das nossas doenças e dores (sejam elas quais forem, fisiológicas ou psíquicas) até os tipos de tratamentos, com enfoques científicos e espirituais.


Pronto, por hoje é isso. =)
Boa semana pra vocês!

06 novembro 2010

Uma pessoa que todos deveriam conhecer

Hoje escrevo para vos contar a história de uma garota que conheci recentemente. 

Ela é estudante de Pedagogia, tem por volta de 23 anos. Não é alta, tem os olhos verdes e os cabelos castanho-claros. Assim que fui apresentada a ela, notei um desvio no olhar e, com mais atenção, reparei que ela mal conseguia me ver: possui uma deficiência na visão.

Depois de poucos minutos de conversa, fui descobrindo que o problema na vista era irrelevante se comparado aos tantos outros problemas que aquela guria enfrenta:

Com 11 meses de vida, a mãe dela reparou que havia algo 'diferente', e começou a levá-la a diversas consultas. Os médicos não descobriam nada e ainda diziam que era cuidado excessivo da genitora. Inconformada, a mãe viajou para Curitiba, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre (etc), sempre em busca de respostas que pudessem aliviar o coração aflito de quem sente que tem algo acontecendo, embora não saiba explicar.

Com 6 anos de idade (!) a criança foi levada aos Estados Unidos e, só então, as respostas começaram a aparecer.

Neurofibromatose Tipo 1 é o nome da doença. Um tumor cerebral teve de ser retirado com urgência, quimioterapias intensivas foram feitas, muitos estudos e a constatação de que, anualmente, a menina teria de ser submetida a cirurgias.

Em consequência do diagnóstico tardio é que a visão foi prejudicada e o desenvolvimento cerebral ficou danificado, acarretando dificuldades de aprendizado. Mesmo assim, essa garota que teria mil e um motivos para se desesperar optou por agradecer a Deus a oportunidade de evoluir através da Dor e do Amor.

Por que eu passei a admirar tanto essa pequena? Porque ela participa de trabalhos voluntários com pessoas portadoras de retardo mental, trabalha na brinquedoteca da faculdade cuidando de crianças e ainda é monitora de um projeto voltado ao ensino diferenciado! 

Essa garota que não consegue pegar ônibus e nem mesmo atravessar a rua sozinha, deveria ser um exemplo perante o qual deveríamos nos espelhar. Entretanto, ela ainda enfrenta preconceitos por onde passa, especialmente na faculdade. 

Nas cirurgias a que me referi (realizadas anualmente), são removidas das pernas dela diversas lesões que, ao não serem tratadas, evoluem para o estado de neoplasias. Não entendi muito bem como essa doença age mas,  independente da minha ignorância quanto a isso, o fato é que se trata de uma doença raríssima, acontece na proporção de um a cada 3.000 ou 4.000 nascimentos, sendo que metade dos casos são mutações novas

Infelizmente, a ignorância e, porque não dizer, maldade de certas pessoas, acaba por transformar a vida dessa adorável garota numa luta ainda maior. Isso que vou relatar a seguir fiquei sabendo por uma amiga dela (porque ela jamais iria contar tal fato, vitimizar-se não é algo que combina com sua personalidade): certa vez, uma mulher chegou para tirar satisfações com ela dizendo que não era obrigada a olhar para aquelas pernas horrorosas, e exigiu que a menina parasse de usar shorts. Vocês acreditam numa coisa dessas?

A resposta dela foi: Eu gosto de usar shorts e vou continuar usando, você não é obrigada a olhar para minhas pernas.

Fiquei chocada ao saber que muitas pessoas se afastam dela, se levantam do banco quando ela senta, entre outras situações absurdas que demonstram que muitos desconhecem a Lei  de Causa e Efeito, a Lei que rege o Universo. 

Tudo que você faz, volta para si, nessa ou noutra Vida. 

Agora vocês também podem dizer que conheceram uma garota fantástica. Uma Luz que, por onde passa, ilumina a todos. Os que não conseguem perceber isso é porque, certamente, ficaram ofuscados.


04 novembro 2010

Em busca de mim



Em busca de mim já fiquei tão diferente do que sou que nem seria capaz de me reconhecer no espelho. Deixei de dizer coisas para não desagradar. Agradei dizendo coisas que era melhor deixar passar. Falei muito, não ouvi tanto, me envolvi, rastejei, me lancei no abismo, voei alto, acordei dos pesadelos, cheguei no limite e, depois da vida, o que existe?

Passei por tão drásticas mudanças que algumas pessoas conhecidas nos mais variados momentos dos meus 20 e poucos anos não se dariam bem com todas as nuances dessa metamorfose que vos fala. Não é curioso tudo isso? Acaso você já sentiu que se fosse possível retornar alguns anos no tempo, jamais escolheria a si próprio como companhia? Eu sim.

Sempre senti em meu coração que estava em busca de algo. E esse algo era eu mesma. 

O quão difícil é encontrarmos nossa própria essência? É ela que se esconde de nós, ou somos nós mesmos que fugimos dela?

A verdade é que muitas respostas estão dentro de nós. Como um certo artista* de tempos idos comentava sobre sua arte de esculpir corpos perfeitos em pedra ("eu apenas tiro o excesso"), a perfeição está em nosso íntimo - só precisamos tirar o excesso, tudo aquilo que não tem a menor importância.

Mas, a pergunta que se quer fazer ouvir é: Por que mudar?

O Mundo está de tal modo corrompido que se tornou comum aceitarmos resignadamente o caos em que vivemos. Porém, muito pior do que isso é quando o caos se estende aos nosso atos e pensamentos. Aí sim, aceitar a proposta de mudar se torna cada vez mais improvável.

Toda mudança causa alvoroço. E dificilmente existirá uma mudança sem sacrifícios.

Estou disposta a enfrentar as setas venenosas, os ataques noturnos, os golpes de energia negativa, e tudo porque comecei a vislumbrar a Luz. Talvez digam que fui levada pela força das circunstâncias e, de certo modo, até que faz sentido... Entretanto, muitos passam pela beira do precipício e, ao invés de entenderem que ali é perigoso, voltam diariamente ao mesmo local, porque se agradaram com o eco - reproduzindo suas palavras, seus atos, seus erros.

No meu caso, não havia tempo para o jogo das repetições distorcidas. E eu também não quis correr o risco de ser empurrada - sei que certamente seria.

Se alguma vez senti falta do que deixei pra trás? Jamais.

Se eu sei que a Cura está em mim, da mesma forma eu sei que um futuro pleno se constroi hoje, no presente.

*Michelangelo Buonarroti (1475-1564) - Quando perguntado como é que ele conseguia esculpir obras tão belas, ele respondeu: "Eu pego um bloco de pedra e a estátua já está dentro; eu só tiro o excesso."

16 outubro 2010

O que é possível em um mês

Olá, meus caros amigos!

Quase dois meses se passaram e só agora volto a escrever, cheia de novidades.

Desde o início de setembro estou no sul do país, cuidando da minha saúde física e espiritual. Estou em Florianópolis e já tive a oportunidade de fazer um tour pela cidade. Aqui é realmente um lugar fantástico, muito arborizado, limpo e moderno. Logo de cara fiquei encantada, e até tirei umas fotos do bairro onde estou (quem quiser conferir, pode visitar meu flickr, fotografei as casas de algumas ruas de Canasvieiras. Segue o link: álbum do Flickr).

Praia Brava - Floripa/SC

Os resultados desse tratamento alternativo já são palpáveis, pois me sinto extremamente bem, renovada, e já me foi dito que nas próximas tomografias poderei confirmar tudo isso. Estou tendo um estilo de vida muito diverso do que eu levava em Fortaleza. Aqui eu acordo cedo, faço caminhada pela praia (menos de duas quadras daqui), me alimento com comidas naturais, muitas verduras e legumes que antes eu nem tinha curiosidade de experimentar e muitas sopas (saborosas). 

As pessoas que me acolheram se tornaram muito mais que uma família, pois estão me transmitindo conhecimento e ensinando uma nova maneira de enxergar a vida.

Praça de Santo Antônio de Lisboa - Floripa/SC

Nunca pensei que aqui eu encontraria as respostas e conseguiria preencher o vazio que sempre senti mas nunca consegui explicar. Tenho estudado bastante e entrado em contato com a Espiritualidade de uma forma que muito tem me ajudado a entender que a Cura está em mim. 

Muito do que tem sido ensinado é preciso aplicar no dia-a-dia, para que o aprendizado não seja apenas teórico. Em breve estarei postando aqui alguns conteúdos que julgo ser interessante compartilhar com vocês. Para quem tiver o mesmo desejo de sair da Escuridão (que também pode ser chamada de ignorância), algumas leituras serão bem úteis. 

Abaixo uma foto que tirei hoje:

(=

Até a próxima, queridos!

21 agosto 2010

Da decadência festiva



Motafer, Ravy, Luana e Moi. Comendo pavê de chocolate. 

Semana passada fui a uma festa de Formatura com uns amigos da faculdade (como citei no post anterior). A celebração foi dos alunos de Publicidade da Fa7, e a decoração estava belíssima, tudo muito refinado.

Quando me convidaram, não pensei em recusar porque seria uma grande desfeita com o pessoal (com que, em sua maioria, eu cheguei a dividir a sala de aula). Mas, confesso a vocês, acho um porre essas festas!

Pra começo de conversa, o traje era a rigor, e eu tinha recebido a informação de que era esporte fino. Resultado: fui com uma roupa bem confortável, calça jeans, e um paletó preto que arranjei de última hora. Era a única mulher no local que não estava usando vestido, salto alto, cabelo envolto num coque ou penteado mais elaborado. Logicamente, me senti deslocada, mas procurei não dar importância a isso, afinal, não devemos nos desgastar com coisas tão pequenas. Agora, relembrando o fato, acho até engraçado. As moças da equipe do Buffet estavam com uma roupa mais alinhada que a minha.. haha. Mas garanto que ninguém estava tão confortável quanto eu. xD

A música ficou por conta de uma banda bem eclética, tocou de tudo. Mas, pra variar, acabou cumprindo-se a tradição: nessa cidade tudo tende ao forró. 

Na maior parte do tempo, preferi ficar sentada, bebendo um coquetel de frutas (sem álcool) e comendo amendoim colorido. Não perdi a oportunidade de observar o comportamento grupal das pessoas. Tinha muitos professores na festa, e é interessante ver a transformação que a bebida exerce sobre alguns que costumam ter uma postura mais séria no dia-a-dia.

No ponto alto da comemoração, vieram uns sambistas bem caracterizados. Aproveitei que meus amigos estavam bastante animados com os sambas de carnaval e escapei dali.

Fiquei um bom tempo num recanto mais isolado da área do Buffet. A música ficou longe e já não incomodava meus tímpanos. Este foi o melhor momento, pra mim.

Percebi que não quero uma festa assim quando me graduar. É o tipo de celebração que não me diverte. Pelas músicas, pelas conveniências, por toda a pompa que não combina comigo. Minha mãe já declarou que faz questão, então eu fico nesse dilema. 
Muito mais interessante é viajar para um lugar legal gastando toda a grana que seria empregada para entreter os convidados, não acham? Até chegar o momento da decisão, espero ter feito minha mãe aceitar a ideia. =P

Eu e meus amigos fomos praticamente os últimos a sair de lá, e foi interessante ver a decadência do ambiente. Mulheres descalças, maquiagens e penteados desfeitos, roupas amassadas. A euforia totalmente substituída pelo cansaço.


Não foi de todo bom, não foi de todo mau.
Valeu a experiência.

15 agosto 2010

A Cidade Caótica e o reencontro com a Rotina

Se passaram duas semanas desde que voltei a frequentar as aulas na faculdade.


Algumas pessoas já sabiam, outras se surpreenderam. Existem mil coisas que eu poderia relatar a respeito dessa experiência, mas vamos reduzir esse número.

A Primeira coisa a ser dita é: espanto.
O motivo? Trânsito!

Há pouco mais de um ano e meio, saindo de casa por volta das 17h15, eu chegava cedo na faculdade, umas 18h25, no máximo. Minha aula só inicia a partir das 19h, então me sobrava tempo para ir ao banheiro, comprar algum material na Xerox se fosse preciso, ir à biblioteca se tivesse vontade... Enfim, era muito tranquilo. 
Dia 02 de agosto de 2010 (quando houve o retorno às aulas), saí 17h, já com a pretensão de chegar bem cedo e evitar o congestionamento. Que doce ilusão!
Não só enfrentei um engarrafamento absurdo, como ainda tive que descer antes da minha parada e ir a pé até o prédio da Fa7, porque não tinha como o ônibus avançar. Cheguei uns 15 minutos atrasada na primeira aula!

Na aula seguinte, prevenida quanto a esse problema, saí ainda mais cedo (16h40). Meu prêmio foi não chegar atrasada, mas também não foi grande coisa. Chegue 18h45. 

Agora, façam as contas, é ou não é um absurdo?!
Um percurso que normalmente levaria meia hora, ou uns quarenta minutos, está levando em torno de duas horas! Sem condições! 

Fortaleza mudou muito! Eu realmente desconhecia esse novo quadro na cidade. Está o terror! =O


A Segunda coisa a ser comentada é a temática das Greves dos motoristas de ônibus. Que coisa mais chata! 
Acreditem, eu até tenho rezado para que os motoristas consigam esse aumento salarial, só para acabarem com essas paralisações.
Por conta delas, já faltei duas quintas-feiras seguidas e, portanto, ainda não tive oportunidade de assistir aula nesse dia. Tá complicado. E como ainda sofro um cuidado excessivo por parte da minha querida mãezinha, ela não descansa enquanto não me convence a ficar em casa em dias tumultuados como tem sido esses últimos. Acabo me tornando refém dessa superproteção.

A Terceira e última coisa que irei relatar é o convite que recebi logo que reencontrei velhos amigos da minha turma: comparecer na Festa de Formatura de alguns dos meus colegas de classe, no dia 13 de agosto (ontem).

Para quem não sabe, comecei minha faculdade em 2006.1, e Publicidade e Propaganda é um curso de 4 anos, ou seja, teoricamente eu teria que ter me graduado em 2009.2. Ainda que eu não tivesse adoecido e ficando ausente por 3 semestres, não iria me formar em 2009, mas só em 2010.1, porque acabei adiando algumas disciplinas e queria fazer a monografia com bastante calma. A turma de alunos que entrou junto comigo, em sua maioria, ainda não se graduou, pois também adiaram muitas cadeiras. Outros trancaram o curso, mudaram de área, teve gente até que mudou de Estado. Por diversos motivos, a galera se dispersou. Por sua vez, alguns alunos já conseguiram colar grau, e outros o farão no final deste ano. 

A referida Festa de Formatura foi consagrada tanto àqueles que colaram grau em junho deste ano quanto aos que o farão em dezembro. 
É, meio confuso mesmo. Ainda mais porque é super estranho celebrar a formatura e, na semana seguinte, continuar indo para a aula ou voltar a redigir as linhas da monografia - que só será apresentada 4 meses mais tarde.

Enfim... Aceitei o convite. Foi totalmente no impulso, e mais por consideração do que por real interesse.

O desenrolar da Festa e as minhas impressões vou comentar no post seguinte, com algumas fotos (que estou esperando meus amigos me enviarem). 

Por ora, vou terminando por aqui.

Tenham todos um ótimo domingo (se conseguirem essa proeza. Afinal, alguém explica por que os domingos são tão ruins??).

Até.

27 julho 2010

Das fases #2





"Tenho fases de saber
E fases de duvidar.
Sou, numas fases, mulher,
Noutras sou o que inventar..."

Continuando com fotos, mostrando fases da minha vida. =)
SiSim, eu não tive sempre o cabelo grande. Vivia alternando o comprimento dele. Quando ficava grande por muito tempo, eu ia e cortava. Era a emoção da vida. Haha.


Dia de Natal. Cabelão já tinha crescido bastante.
Reparem nas cores: tricolor paulista! xD
Saudade dessa minha botinha...

A-há! Essa é a prova para quem duvidou que eu fazia karatê! =D
(Olha o tamanho da criatura... xD)
Eu tinha muita elasticidade nos exercícios, mas detestava as horas de lutar. Lembro de situações em que inventava estar sentindo dor de cabeça justamente no momento das lutas. O mais longe que cheguei foi a faixa laranja (a ordem é branca-amarela-vermelha-laranja-verde-roxa-marrom-preta). 

Aqui eu tava no Circo do Beto Carrero. Foi o mais próximo que eu cheguei de montar num cavalo. ^^' E esse chapéu e o colete não eram meus, mas foi usado na ocasião da fotografia. 

Essa vai gerar polêmica. xD Sim! Eu já tive mecha loira! E também estava numa fase em que achava que era bonito fazer essa cara séria, imitando as modelos das passarelas. E que combinação de roupas, hein? /cafonérrima/ Tinha uns 12 anos, acreditem se quiserem. Nem eu acredito, às vezes. o.O

Desafio meus amigos  que possuem blogs a postarem fotos de suas fases. Que tal? =P
Beijo a todos e tenham uma excelente semana!!

16 julho 2010

Das Fases #1

Lua Adversa - Cecília Meireles

Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém 
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Momento Nostalgia em Fotos



3 aninhos, fazendo a famosa pose do bule. =P Ao meu lado, meu querido irmão, Mychell.
Não sei exatamente que idade eu tinha aqui...
Suponho que uns 4 ou 5 anos. 

Comendo morangos com creme de leite e ouvindo música, lembro bem desse dia. Eu tinha por volta de 9 anos. Detalhe: meu cabelo tava imenso! E eu praticava karatê. =P


Neste dia eu tava no Zoológico de São Paulo. 11 anos. Finalmente uma foto sem usar franjinha. xP


Em breve, novas fotos e novas fases. 

09 julho 2010

Cores e Formas

É aqui mesmo. Você não errou o blog. ;)
Resolvi mudar, já era tempo. 

O antigo, embora eu tenha feito com base num template pré-pronto, exigiu de mim uma certa dedicação que, aliás, eu cedi com muito prazer. Parto do princípio que, se algo tem que ser feito, deve ser bem feito.

As cores e tonalidades estavam próximas do laranja e do vinho. Era um modelo exclusivo, pelo menos quanto às matizes escolhidas:


No entanto, chegou o tempo de mudar. Confesso que tenho alguma dificuldade em me desfazer de coisas que já foram importantes pra mim, mesmo que já não sejam. Um apego inexplicável. 

Com essa grande novidade que o Blogger trouxe, de possibilitar personalizar o layout desde seu modelo ao plano de fundo, vi que era uma chance de ir adiante com a ideia da alteração, que começou a povoar minha mente alguns dias atrás. E, o melhor, sem ter que me preocupar com código HTML. \o/

Não é segredo pra ninguém que gosto bastante de brincar com essas coisas. O tempo passa voando - até mais rápido do que eu gostaria... 

Espero que apreciem o modelo escolhido.
Está bem mais clean, mais moderno, e muito mais a minha cara. 


Os tempos sombrios ficaram pra trás. Agora, só há espaço para a Luz.


Para quem possui um blog com endereço blogspot.com, e ainda não está sabendo dessa novidade, eis um site que vai explicar direitinho: 

E, se você ainda não tem um blog, que tal criar um? =) 
Garanto que é muito divertido.

Grande abraço a todos!

Paz e Luz!