29 junho 2010

Acerca dos outros e de mim



Hoje tive uma consulta no ICC. 
Pensei que ficaria tensa, com o coração acelerado e a memória insistindo em me fazer lembrar de vários momentos tristes e dolorosos que passei ali. Mas não.

Enquanto esperava ser chamada, me sentei e fiquei lendo. A Swu estava comigo, e também lia. 

Os raios solares estavam batendo forte na minha pele, mas não me incomodavam mais do que os gritos assustadores que vinham do andar de baixo. Um rapaz colocava toda a tormenta física e psíquica em sua voz. Parecia estar sendo torturado impiedosamente. Não sei explicar que bizarra atração foi aquela, mas no espaço de alguns segundos, todos estavam a assistir àquela cena.

A mesma curiosidade que domina os zumbis interessados em ver corpos dilacerados após um acidente no trânsito; ou mesmo o estranho prazer que guia espectadores de filmes violentos, sangrentos e feios. 

Não havia nenhuma graça naquilo. E, no entanto, notei uma mulher sorrir. Acompanhantes de pacientes, enfermeiras e funcionários - todos correram para olhar. 

No lugar onde estava, permaneci. Meu impulso era tapar os ouvidos, pois aqueles gritos eram realmente tristes. No entanto, me contive. 


E os ratos continuavam a vislumbrar o queijo, famintos. Continuo atônita, abismada com a comoção geral. Eles se entreolhavam, cúmplices. Ratinhos saíram de todos os orifícios, para babar sobre o enorme queijo, que estava em exposição. Entretanto, eles só podiam olhar. Nada mais.

Loucuras à parte, a consulta foi muito positiva. Farei novos exames, mais completos. Tudo indica que não terei de enfrentar nova quimioterapia, porque esse tratamento alternativo que venho fazendo e também a ingestão de chás de diversas ervas, já estão mostrando resultados. Como falei anteriormente, sem precisar sofrer com as QTs, o tumor está regredindo.

Dadas as atuais circunstâncias, eu não poderia estar mais alegre.



Minha viagem ainda não aconteceu. No tempo certo eu sei que tudo vai se encaminhar.

Continuo estudando a Codificação Espírita e me fascinando cada vez mais com todas as verdades reveladas pelos Espíritos Superiores. 
Tudo, tudo faz muito sentido.  

Me sinto plena, muito feliz e com a certeza de que a cada novo dia vou ficar cada vez melhor. 

Obrigada meu Deus. Obrigada por ser tão Maravilhoso, Soberanamente Justo e Bom.

Eis o meu Testemunho de Fé. =)

7 comentários:

Elson disse...

Oi Mara!
Realmente um defeito até hoje mostrado é achar diversão em sofrimento dos outros, comigo acontece muito vendo pessoas sofrendo realmente, não aquela coisa tipo vídeo cacetada, que é só acidente que acontece de forma estranha e inusitada, mas dor real, algo que nem deveria ter graça alguma, é fácil para aqueles que ficam só olhando, mas, para aqueles que sofrem não tem graça alguma, eu mesmo não acho graça...

Graças a Deus que essa fase de sua vida esta chegando a um fim, me alivio ao saber que depois de tanto tempo esteja terminando...

Te adoro minha amiga!

P.S.: Enquanto ao convite de jogar Guitar Hero, só falar o dia que eu vou!
^^

Priscila disse...

Esse é um mal que o sistema dissemina sobre nossas cabeças. Pode parecer um tanto "fugir de uma culpa", mas eu vejo isso como um retorno curioso às origens do ser humano que as pessoas não sabem mais como lidar. De tanto ver estampado em vitrines a felicidade, e uma felicidade falsa, passageira, as pessoas se subjugam a uma ditadura do sempre limpo e belo, e ao ver algo tão forte, tão nu, tão terrível, que também compõe a humanidade, voltam à isso como ratinhos seduzidos pelo queijo mesmo. O grande problema é que já estão tão acostumados a banalização (veja-se os noticiários, notícias de verdadeiras catástrofes ao lado das notícias do futebol e da última moda ou do mercado financeiro), que veem tudo isso como mais um espetáculo. Um espetáculo de si mesmo, que só diverte porque não é em suas próprias carnes... Foram condicionados à apatia e à diversão. Não sabem mais como lidar com o rel. Vivemos em um mundo trágico, paradoxal... é mesmo incompreensível. Pode-se conhecer que caminhos percorremos até chegar a tal ponto, mas nunca poderemos responder por que permitimos que chegasse a tal ponto. Ando amadurecendo umas ideias e lendo umas coisinhas que em breve espero poder compartilhar com vocês. E a foto tá lindia! *-*

Lucas disse...

Como diria aquele urso que educa o Mogli: "o extraordinário é demais". Eu tenho evitado cada vez mais julgar as pessoas por esse tipo de ato, tento me questionar o tanto quanto questiono eles.

Meu primeiro impulso tb seria espiar, mas não espio. Pq? Pq é falta de educação. Quem diz o q é educado? Indivíduos-modelo. Quem? As pessoas no topo. De quê? Da... hierarquia. Os discursos culturais, como as "formas corretas" de agir, são visionados, mas nem sempre praticados, por minorias, a aceitação desses discursos cria estruturas de convivência, tão incrustadas nas mentes dos indivíduos q não são questionadas.

Nesse caso, uma educada indiferença é apropriada, quando alguem está agonizando. Pera aí... então na nossa sociedade, em q a parcela consciente da população prega o retorno do contato humano, minado pelo advento da internet, tb defendemos a INDIFERENÇA educada ao sofrimento alheio?

Os curiosos não podiam fazer nada pelo cara sofrendo, mas eles deixaram o sofrimento do cara tirá-los do marasmo. Eles interagiram com o cara, se sensibilizaram, de uma certa forma, deixaram os gritos transformarem seu próprio estado de espírito e mostraram isso ficando em pé, para mostrar a todos e pra q todos se agitassem junto...

Preceitos morais à parte, a atitude deles foi mais natural, mais humana e, de certo ângulo, talvez até mais sensível.

(Eu quis mostrar q acompanho seu blog e acabei mostrando tb o quanto certos historiadores têm me afetado, foi mal)

Bruno disse...

;)

Deixo-lhe um abraço apertado
e ofereço-lhe meu sorriso.

sam disse...

Éé... não sei. Eu sou tão indiferente aos outros, às vezes, quanto os outros podem ser curiosos demais ao meu ver.
Nem penso, fuck them and my judgment.

Anyway... NO MORE QTs!
(Inglês macarrônico à parte) Felicidade muita é apelido! [=
Lhe vejo em breve, docinho.

Grosses bises!

sam disse...

Sim, e essas gatinhas aí na foto?.. :*~

Maraysa Carvalho disse...

Eita que esse assunto tá gerando uma certa polêmica, hein? =P
Interesting... xD