21 agosto 2010

Da decadência festiva



Motafer, Ravy, Luana e Moi. Comendo pavê de chocolate. 

Semana passada fui a uma festa de Formatura com uns amigos da faculdade (como citei no post anterior). A celebração foi dos alunos de Publicidade da Fa7, e a decoração estava belíssima, tudo muito refinado.

Quando me convidaram, não pensei em recusar porque seria uma grande desfeita com o pessoal (com que, em sua maioria, eu cheguei a dividir a sala de aula). Mas, confesso a vocês, acho um porre essas festas!

Pra começo de conversa, o traje era a rigor, e eu tinha recebido a informação de que era esporte fino. Resultado: fui com uma roupa bem confortável, calça jeans, e um paletó preto que arranjei de última hora. Era a única mulher no local que não estava usando vestido, salto alto, cabelo envolto num coque ou penteado mais elaborado. Logicamente, me senti deslocada, mas procurei não dar importância a isso, afinal, não devemos nos desgastar com coisas tão pequenas. Agora, relembrando o fato, acho até engraçado. As moças da equipe do Buffet estavam com uma roupa mais alinhada que a minha.. haha. Mas garanto que ninguém estava tão confortável quanto eu. xD

A música ficou por conta de uma banda bem eclética, tocou de tudo. Mas, pra variar, acabou cumprindo-se a tradição: nessa cidade tudo tende ao forró. 

Na maior parte do tempo, preferi ficar sentada, bebendo um coquetel de frutas (sem álcool) e comendo amendoim colorido. Não perdi a oportunidade de observar o comportamento grupal das pessoas. Tinha muitos professores na festa, e é interessante ver a transformação que a bebida exerce sobre alguns que costumam ter uma postura mais séria no dia-a-dia.

No ponto alto da comemoração, vieram uns sambistas bem caracterizados. Aproveitei que meus amigos estavam bastante animados com os sambas de carnaval e escapei dali.

Fiquei um bom tempo num recanto mais isolado da área do Buffet. A música ficou longe e já não incomodava meus tímpanos. Este foi o melhor momento, pra mim.

Percebi que não quero uma festa assim quando me graduar. É o tipo de celebração que não me diverte. Pelas músicas, pelas conveniências, por toda a pompa que não combina comigo. Minha mãe já declarou que faz questão, então eu fico nesse dilema. 
Muito mais interessante é viajar para um lugar legal gastando toda a grana que seria empregada para entreter os convidados, não acham? Até chegar o momento da decisão, espero ter feito minha mãe aceitar a ideia. =P

Eu e meus amigos fomos praticamente os últimos a sair de lá, e foi interessante ver a decadência do ambiente. Mulheres descalças, maquiagens e penteados desfeitos, roupas amassadas. A euforia totalmente substituída pelo cansaço.


Não foi de todo bom, não foi de todo mau.
Valeu a experiência.

15 agosto 2010

A Cidade Caótica e o reencontro com a Rotina

Se passaram duas semanas desde que voltei a frequentar as aulas na faculdade.


Algumas pessoas já sabiam, outras se surpreenderam. Existem mil coisas que eu poderia relatar a respeito dessa experiência, mas vamos reduzir esse número.

A Primeira coisa a ser dita é: espanto.
O motivo? Trânsito!

Há pouco mais de um ano e meio, saindo de casa por volta das 17h15, eu chegava cedo na faculdade, umas 18h25, no máximo. Minha aula só inicia a partir das 19h, então me sobrava tempo para ir ao banheiro, comprar algum material na Xerox se fosse preciso, ir à biblioteca se tivesse vontade... Enfim, era muito tranquilo. 
Dia 02 de agosto de 2010 (quando houve o retorno às aulas), saí 17h, já com a pretensão de chegar bem cedo e evitar o congestionamento. Que doce ilusão!
Não só enfrentei um engarrafamento absurdo, como ainda tive que descer antes da minha parada e ir a pé até o prédio da Fa7, porque não tinha como o ônibus avançar. Cheguei uns 15 minutos atrasada na primeira aula!

Na aula seguinte, prevenida quanto a esse problema, saí ainda mais cedo (16h40). Meu prêmio foi não chegar atrasada, mas também não foi grande coisa. Chegue 18h45. 

Agora, façam as contas, é ou não é um absurdo?!
Um percurso que normalmente levaria meia hora, ou uns quarenta minutos, está levando em torno de duas horas! Sem condições! 

Fortaleza mudou muito! Eu realmente desconhecia esse novo quadro na cidade. Está o terror! =O


A Segunda coisa a ser comentada é a temática das Greves dos motoristas de ônibus. Que coisa mais chata! 
Acreditem, eu até tenho rezado para que os motoristas consigam esse aumento salarial, só para acabarem com essas paralisações.
Por conta delas, já faltei duas quintas-feiras seguidas e, portanto, ainda não tive oportunidade de assistir aula nesse dia. Tá complicado. E como ainda sofro um cuidado excessivo por parte da minha querida mãezinha, ela não descansa enquanto não me convence a ficar em casa em dias tumultuados como tem sido esses últimos. Acabo me tornando refém dessa superproteção.

A Terceira e última coisa que irei relatar é o convite que recebi logo que reencontrei velhos amigos da minha turma: comparecer na Festa de Formatura de alguns dos meus colegas de classe, no dia 13 de agosto (ontem).

Para quem não sabe, comecei minha faculdade em 2006.1, e Publicidade e Propaganda é um curso de 4 anos, ou seja, teoricamente eu teria que ter me graduado em 2009.2. Ainda que eu não tivesse adoecido e ficando ausente por 3 semestres, não iria me formar em 2009, mas só em 2010.1, porque acabei adiando algumas disciplinas e queria fazer a monografia com bastante calma. A turma de alunos que entrou junto comigo, em sua maioria, ainda não se graduou, pois também adiaram muitas cadeiras. Outros trancaram o curso, mudaram de área, teve gente até que mudou de Estado. Por diversos motivos, a galera se dispersou. Por sua vez, alguns alunos já conseguiram colar grau, e outros o farão no final deste ano. 

A referida Festa de Formatura foi consagrada tanto àqueles que colaram grau em junho deste ano quanto aos que o farão em dezembro. 
É, meio confuso mesmo. Ainda mais porque é super estranho celebrar a formatura e, na semana seguinte, continuar indo para a aula ou voltar a redigir as linhas da monografia - que só será apresentada 4 meses mais tarde.

Enfim... Aceitei o convite. Foi totalmente no impulso, e mais por consideração do que por real interesse.

O desenrolar da Festa e as minhas impressões vou comentar no post seguinte, com algumas fotos (que estou esperando meus amigos me enviarem). 

Por ora, vou terminando por aqui.

Tenham todos um ótimo domingo (se conseguirem essa proeza. Afinal, alguém explica por que os domingos são tão ruins??).

Até.