04 novembro 2010

Em busca de mim



Em busca de mim já fiquei tão diferente do que sou que nem seria capaz de me reconhecer no espelho. Deixei de dizer coisas para não desagradar. Agradei dizendo coisas que era melhor deixar passar. Falei muito, não ouvi tanto, me envolvi, rastejei, me lancei no abismo, voei alto, acordei dos pesadelos, cheguei no limite e, depois da vida, o que existe?

Passei por tão drásticas mudanças que algumas pessoas conhecidas nos mais variados momentos dos meus 20 e poucos anos não se dariam bem com todas as nuances dessa metamorfose que vos fala. Não é curioso tudo isso? Acaso você já sentiu que se fosse possível retornar alguns anos no tempo, jamais escolheria a si próprio como companhia? Eu sim.

Sempre senti em meu coração que estava em busca de algo. E esse algo era eu mesma. 

O quão difícil é encontrarmos nossa própria essência? É ela que se esconde de nós, ou somos nós mesmos que fugimos dela?

A verdade é que muitas respostas estão dentro de nós. Como um certo artista* de tempos idos comentava sobre sua arte de esculpir corpos perfeitos em pedra ("eu apenas tiro o excesso"), a perfeição está em nosso íntimo - só precisamos tirar o excesso, tudo aquilo que não tem a menor importância.

Mas, a pergunta que se quer fazer ouvir é: Por que mudar?

O Mundo está de tal modo corrompido que se tornou comum aceitarmos resignadamente o caos em que vivemos. Porém, muito pior do que isso é quando o caos se estende aos nosso atos e pensamentos. Aí sim, aceitar a proposta de mudar se torna cada vez mais improvável.

Toda mudança causa alvoroço. E dificilmente existirá uma mudança sem sacrifícios.

Estou disposta a enfrentar as setas venenosas, os ataques noturnos, os golpes de energia negativa, e tudo porque comecei a vislumbrar a Luz. Talvez digam que fui levada pela força das circunstâncias e, de certo modo, até que faz sentido... Entretanto, muitos passam pela beira do precipício e, ao invés de entenderem que ali é perigoso, voltam diariamente ao mesmo local, porque se agradaram com o eco - reproduzindo suas palavras, seus atos, seus erros.

No meu caso, não havia tempo para o jogo das repetições distorcidas. E eu também não quis correr o risco de ser empurrada - sei que certamente seria.

Se alguma vez senti falta do que deixei pra trás? Jamais.

Se eu sei que a Cura está em mim, da mesma forma eu sei que um futuro pleno se constroi hoje, no presente.

*Michelangelo Buonarroti (1475-1564) - Quando perguntado como é que ele conseguia esculpir obras tão belas, ele respondeu: "Eu pego um bloco de pedra e a estátua já está dentro; eu só tiro o excesso."

5 comentários:

Elson disse...

Nossa! Bem profundo...

^^

Beijos minha amiga!

Bruno disse...

Maravilhoso, maravilhoso.

Beijos, raposinha =***


PS.: Quando a rocha inteira for removida, lá estará a essência. =)

Lucas disse...

Eu queria ver essas mudanças de perto, baby. Não vai responder meu e-mail?

diego almeida disse...

sempre bons ler palavras de alguém especial... continue, mudanças fazem bem!

Michele disse...

Foi num post como esse que tu fez voltar a minha fé.


E eu te agradeço imensamente por isso.
Que tu continue tocando o coração das pessoas por onde estiver.