30 dezembro 2011

Presente



Eu vou fazer uma lista, não daquelas convencionais, de tudo que planejo para 2012. Na minha lista só vai ter aquilo que já realizei, especialmente nos últimos 12 meses. 
Não quero apagar este ano difícil da minha memória, isso seria banalizar cada uma das lágrimas que derramei, torná-las sem sentido.


Não se deve esquecer o motivo de suas quedas, pois se assim o fosse, mais à frente você já estaria caindo outra vez, pelas mesmas razões.

Meu presente para mim mesma vai ser essa lista, cheia de pequenas vitórias que conquistei sem nem mesmo saber que as estava buscando. Faça isso você também, presenteie-se com suas palavras. 

Sobreviver a este mundo é um triunfo, comemore.


Tempo, tempo

 
É quando menos temos tempo que mais tempo encontramos para fazer o que queremos. Essa é uma verdade que aprendi ao longo de minha humilde existência.

Na ociosidade fútil, parece que o dia passa tão rápido que, quando vamos dormir, temos a impressão de que perdemos muitas horas em apenas alguns segundos. É uma sensação de frustração sem limites.

Não sei o que acontece, e já nem busco uma explicação. Só queria saber aplicar tão bem, na prática, tudo que sei na teoria. 

Dia desses vi uma frase bacana sobre o próximo ano:

Em 2012, não é o ano que tem que ser diferente: é você.

Esse conselho me caiu bem, e não quero segui-lo apenas quando começar janeiro. Quero começar desde já, desde agora. Apesar de saber que nossos planos cotidianos não significam nada, quando a Vida enxerga mais longe do que nós - e quase sempre é assim - tenho algumas metas para o próximo ciclo que se iniciará dentro de 2 dias.

2011 não foi um ano fácil. 
Recomeçar a vida não é uma tarefa simples, e eu ainda estou aprendendo a caminhar sem segurar a mão de ninguém. Porém, 2011 me deixou um legado de grandes experiências, que me fizeram enxergar o mundo de uma forma diferente, mais madura. Ainda vou colher muitos frutos dessa tempestade que passou. Ainda hei de olhar pra trás e entender cada passo torto que dei, sem me lastimar por nada que perdi ou deixei de ganhar. 

A Vida é cheia de escolhas e aqui estou eu, exatamente onde deveria estar. 
Aonde chegarei, e com quem, isso não importa agora. Só sei que preciso estar pronta, e estarei, quando a Vida cobrar isso de mim.

28 novembro 2011

Quatro dias


"O que pode acontecer em quatro dias?" 

Essa pergunta permeou meu pensamento durante muito tempo, mas eu não tinha a resposta. Não bastava pedir aos Céus algum sinal, não adiantava ler nas entrelinhas, nem mesmo ouvir vozes foi o bastante. Certas respostas só são encontradas quando paramos de ter medo e mergulhamos no desconhecido.
Trilhos do Trenzinho do Corcovado

Por algum motivo muito especial, eu tive a oportunidade de mergulhar nesse oceano de mistérios que me sorria, fazendo um convite irrecusável. 

Aceitei. 

Fui cheia de ressalvas, cheia de temores, mas ali estava eu, naquele território estranho que me recebeu tão bem, preparando o céu para não me ferir com sua claridade devastadora. Eu queria algo novo, e foi o que me ofereceram. Dias nublados, frios e cinzentos só são chatos para quem não sabe apreciá-los.

Agora eu já estava envolvida com aquela atmosfera, aquela perspectiva de vivências únicas, surpreendentes, que ficarão para sempre em minha memória - e em minhas fotografias também.

Não precisei de mais do que alguns instantes para entender que eu não estava ali para viver um Amor, mas para viver um reencontro de Almas Afins, que se querem muito bem. Eu nunca soube ser uma anfitriã impecável, talvez porque nunca tivesse visto algo assim. Mas agora aprendi, e não poderei jamais me contentar com menos do que sei que alguém é capaz de fazer para levar até o limite o que a palavra gentileza pode conter.

Parque das Ruínas
Aliás, gentileza é pouco. Eu tive acesso ao que de melhor o ser humano pode oferecer e nunca vou poder usar as palavras certas para demonstrar o quanto sou grata por tudo, já que as palavras são limitadas nesse sentido. 

Em quatro dias eu simplesmente esqueci tudo que pudesse ser um empecilho para aquela experiência e vivi uma outra vida. Foi mágico.
Quando pensamos que nossas existências já estão cheias de histórias, que nada mais pode acontecer, vejam só...

Nunca subestimem a Vida!



21 outubro 2011

Por uma vida mais colorida


As pessoas adoram falar mal da vida. 
As pessoas adoram falar da vida - das outras pessoas.

E a vida é apenas a vida, está aí para ser desfrutada. Se fazemos bom uso das nossas aptidões e tornamos nossos dias melhores, parabéns a nós. Em caso contrário, lamentamos não ter a vida do outro, que sempre parece ser mais fácil.

Mas eu não estou aqui para escrever um monte de clichês. Meu intento é tornar um pouco mais colorida a vida de quem, por algum motivo, passou aqui para me visitar.

Você sabe o que fazer quando está vendo tudo em tons de cinza? Dificilmente algum encarnado consegue escapar desses dias, então não se desespere pensando que o problema é apenas com você. Até mesmo aquele conhecido que parece estar sempre alegre, distribuindo sorrisos por onde passa e arrancando gargalhadas com suas proezas tem seus dias de degradê infeliz. Talvez ele não demonstre, ou talvez supere a tristeza com mais facilidade. 

É curioso como algumas pessoas têm pavor de ficar um pouco down, como se isso fosse lhes tirar o brilho. Cada um tem sua forma de enxergar a vida, mas eu duvido que um dia de cortinas fechadas e luzes apagadas seja completamente ruim. Cabe a nós não permitir que esses dias se perpetuem indefinidamente, sem dúvidas. Em alguns casos, se faz necessário pedir ajuda para sair das crises quando não estamos dando conta de fazê-lo sozinhos. Porém, é bastante válido se jogar na cama e ficar vendo filmes o dia inteiro, esquecendo que temos responsabilidades e um monte de coisas pendentes. A cobrança excessiva nos deixa exaustos e, a longo prazo, vai sugando nossa energia de viver. Quando isso acontece é muito grave, então não podemos permitir que a situação chegue a esse nível.

A melhor coisa é seguir o ensinamento "Conhece-te a ti mesmo", só assim saberemos até onde somos capazes de aguentar. Dia desses eu me permiti faltar à aula de sábado e fiquei o final de semana inteiro vendo Grey's Anatomy e filmes. Me distanciei dos livros e cadernos, fingi que nada daquilo me pertencia e me dei férias urgentes. Eu sabia que precisava descansar e o meu maior divertimento é conhecer novas estórias, então não fiquei com peso na consciência - fiz tudo com meu próprio consentimento.

Permita-se esquecer dos problemas por um instante! 
Lembre-se: o que não pode ser resolvido hoje, não será resolvido hoje. 
Se você ficar com a cara enrugada, tentando solucionar algo que não é possível, vai acabar perdendo um tempo precioso, que poderia ser empregado em uma tarefa mais útil. ;-)

E para te causar um estado de ânimo mais empolgado, se é disso que você precisa, não há nada melhor do que Música!

Vamos fazer uma lista de músicas que nos animam? Vou selecionar com calma as melhores, e quem passar por aqui e sentir vontade, faça isso também, vou adorar saber as preferências dos meus leitores! 

Por hoje é só. Até a próxima! =)

09 outubro 2011

Muitas Vidas


Faz uns 3 ou 4 anos que eu vi esse curta-metragem pela primeira vez no Youtube - e gostei bastante:


Nesta semana, reencontrei este vídeo e soube que ele ganhou o primeiro lugar num concurso promovido anualmente pelo Youtube (Project: Direct 2007) e fiquei super feliz, pois é uma estória bonita retratada de modo simples e emocionante. 

Embora não haja nenhuma mensagem argumentativa com o tema Vida Eterna, esse curta ficou conhecido como espírita. Hoje eu o enxergo de modo diferente do que era capaz de entender naquele período e sei que muitas pessoas hão de concordar comigo.

Não importa se você é espírita, se leu a Codificação, se frequenta alguma casa ou centro temático, nada disso. Mesmo sem muito embasamento teórico, a maioria das pessoas carrega consigo uma intuição de que não faz sentido que a morte seja o fim, o prenúncio do Nada. É irracional pensar que, após viver durante décadas lutando para ter o mínimo de dignidade na Terra, nós sejamos recompensados com o nosso próprio pó. Não dá para conceber tal raciocínio, não se acreditamos verdadeiramente na Justiça e Bondade de Deus.

Este curta-metragem, por mais simples que seja, mostra-nos que nunca morremos, apenas nos mudamos. 

Não é lindo? *-*

05 outubro 2011

Feridas no corpo, dores na alma

Por quanto tempo ainda vai resistir?

Abaixei o tom de voz e falei para que somente ele ouvisse:

"Vô, acredita na Justiça Divina. Nós só colhemos o que plantamos e esse sofrimento não é em vão. Tenha fé, o senhor está se depurando para, quando chegar o momento da partida, ir a um lugar muito bonito e especial. Tenha resignação e acredite: tudo vai ficar bem."

Ele concordou com a cabeça e com os olhos, parecendo consciente de cada palavra que eu dizia. Me tranquilizei e senti que fiz o que devia fazer. Mas não foi nada fácil fitar aqueles olhos negros, cheios de dor e tristeza. Já não se escuta o som de sua voz, e seus movimentos praticamente inexistem. É tão doloroso olhá-lo naquele contexto, ele está irreconhecível. 

Fui vê-lo mais uma vez, já não estava com os aparelhos para ajudar na respiração. Porém, o olhar estava ainda mais perdido. Fiz uma pergunta:

"Tá cansado, vô?"

E ele, com um movimento frágil, respondeu que sim.

Perguntei de novo, mas de outra forma:

"Não tá cansado não, né, vô?" 

E aí ele já respondeu que não... =/

Percebi que a entonação de minha voz determinava sua resposta. Isso me deixou arrasada. Claro que não pude transparecer desolação, apenas sorri e peguei na mão dele. Orei baixinho e me questionei se as palavras ditas na visita anterior teriam chegado até seu espírito. A qualquer momento sei que tudo isso vai passar, mas até que passe... Só me resta pedir que Deus tenha misericórdia. 

Agora lembrei das sábias palavras do Pietro Ubaldi, e finalizo a postagem com elas:

"A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória." 

04 outubro 2011

Faz bem



"Mara, você devia voltar a escrever em seu blog. Sinto que te faz bem."

Pois é, eu também sinto. O problema é que eu não sei o que escrever! Tenho uma dezena de assuntos tilintando na caxola, e não sei qual escolher.

Por vezes tenho vontade de retomar a escrita de crônicas, é um hobby antigo de que sinto falta. Não posso deixar que esse espaço deixe de ter a minha cara. Ele deve possuir minhas cores e minhas letras, e não o que alguns podem esperar encontrar aqui. Já me deixei levar por essas interferências anteriormente e foi inacreditavelmente entediante tecer novas postagens. Isso não vai mais acontecer.

Entrei no blogger hoje e tive a agradável surpresa de ver que o Google tem trabalhado para melhorar esse ambiente. Eu já estava enjoada do layout anterior. Agora está muito mais limpo e harmônico.

Decidi dar uma leve alterada no plano de fundo do Coisas da Mara, para ver se me incentiva a escrever mais. 

Por falar nisso, perdi totalmente o estímulo de atualizar o Portal Propaganda e TV, meu antigo blog temático. Ele estava jogado às moscas e eu nem sei porque o mantive por tanto tempo. Publicidade e Propaganda não tem mais nada a ver comigo! Portanto, aquele blog já não existe mais! 

Qualquer coisa que eu tenha vontade de compartilhar será por este meio, que não terá restrições quando ao conteúdo e às abordagens. Não vou mais me preocupar em atender às expectativas de ninguém, a não ser às minhas. O Coisas da Mara já completou 3 anos (!) e, com tantos altos e baixos, eu não poderia simplesmente abandoná-lo. Mais uma vez ele renasce, assim como eu. ;)




16 agosto 2011

Convite para Autorreflexão

Hoje eu tive a grata surpresa de encontrar essa entrevista no You Tube e, de tão especial que se mostrou pra mim, resolvi compartilhar com vocês.

Espero sinceramente que escutem com atenção às sábias palavras do professor Raul Teixeira e façam uso delas em vossas vidas:



Que tal fazer um autorreflexão? Eis uma excelente oportunidade!

Tenham uma semana iluminada e cheia de Amor!

07 agosto 2011

A vida me sorri no horizonte

Estou com a sensação de que preciso ser mais objetiva por aqui. É, não dá para continuar adiando o momento...

Meus queridos amigos e leitores, tenho uma novidade (que já não é mais tão novidade assim):
Estou de volta à Fortaleza.
 

Antes que me perguntem, eu não declarei o fato antes porque estava indecisa se voltava para Floripa ou dava uma segunda chance à Terrinha. x)
Portanto, como aprendi que na dúvida o melhor é calar, preferi aguardar o rumo dos acontecimentos.

Depois de alguns meses ponderando, me dei conta de que não estava exatamente pronta para ficar longe da minha família. Enquanto morava em Santa Catarina, a distância estava me destruindo aos poucos, a saudade era cruel e eu nem podia ver fotos dos meus familiares que caía em prantos. 

Hoje eu entendo que foi uma decisão radical mudar de vez para Floripa, pois eu vim de um período deveras conturbado no qual foi justamente o apego familiar que me sustentou. Por quase dois anos eu fiquei dormindo no quarto dos meus pais, sendo cuidada dia e noite por minha mãe, que sempre me acompanhou em cada cirurgia e sessão de quimioterapia. O vínculo se fortificou de tal modo que, sem dúvida, não seria do dia para a noite que iria se romper.

Por outro lado, encontrei uma nova família no Sul, que me acolheu como a uma filha (já falei isso várias vezes, eu sei, mas nunca é demais enfatizar) e tenho consciência de que o tempo seria mais do que capaz de me manter com eles. Acontece que eu não fui forte o bastante: a saudade me venceu.

Não foi fácil, lhes asseguro.

Virar noites chorando foi um hábito que adquiri, porque se tratava de uma escolha que imediatamente gerava uma renúncia gigantesca... Não se pode ter tudo, mas é preciso saber lidar com o que se tem, e fazer o melhor com isso.

Se eu pudesse moldar a vida, certamente escolheria levar minha família para Florianópolis, mas essa é uma hipótese que, na prática, não passa de um sonho distante. Diante disso, tive de tomar uma decisão e agora a comunico oficialmente: estou de volta.

Ainda não sinto que Fortaleza será o lugar onde darei meu último suspiro, e talvez eu nunca sinta isso. Mas, por ora, é aqui que vou ficar.

Devo dizer que tive uma ajuda mais do que essencial nessa busca por uma resposta que me trouxesse paz ao coração: DEUS.

Recorri incontáveis vezes ao meu Criador, pedindo auxílio e sabedoria. Apesar de estar no meio da tormenta, cheia de dúvidas e incertezas, foi ELE quem me amparou e embalou meu sono, depositando em meu Espírito a intuição de que tudo ficaria bem. 

Uma nova etapa se anuncia, e tudo que aprendi será meu manual de sobrevivência na Selva. Não tenho mais um Câncer batendo à porta, de braço dado com a Morte. Agora tenho a Vida, deslumbrante, sorrindo para mim no horizonte - e tudo que Ela espera é que eu escolha as melhores trilhas para atingir a plenitude. =)

09 junho 2011

Mônica e Eduardo

Hello people!

Fiquei mais de um mês sem atualizar as coisas por aqui e hoje minha pretensão é bem modesta, não vou escrever um longo texto como de costume, vim apenas compartilhar com vocês um vídeo que encontrei e me deixou sinceramente emocionada. 

Não é segredo pra ninguém que eu AMO Legião Urbana. O mais curioso é que esse amor surgiu de um repúdio, pois antes eu detestava as músicas do Renato Russo! Sério... Quem entende? Creio que eu só precisava parar de ouvir as melodias e começar a senti-las. ;)

O fato é que a Legião mais poética do último século se tornou trilha da minha vida e, volta e meia, sempre acabo encontrando alguma música que se encaixa perfeitamente para determinado momento que estou vivenciando.

Então, sem mais delongas, quero apresentar a vocês (se é que já não viram no Youtube) um vídeo magnífico que a operadora Vivo lançou especialmente para  o Dia dos Namorados! 
Ficou lindo!! Sempre quis que fizessem algo parecido (melhor seria se fosse um longa metragem! Mas é um consolo saber que já estão produzindo Faroeste Caboclo)! 
Parabéns à produção, aos editores, aos atores, enfim, a toda a equipe que esteve envolvida nesse trabalho tão bem feito. 

05 maio 2011

Faça uma boa ação

Já parou para pensar que oportunidades para ajudar nossos semelhantes estão ao alcance fácil de nossas mãos e muitas vezes deixamos passar?

Se hoje você acordou com vontade de fazer uma boa ação, que tal ver esse vídeo de uma mulher muito guerreira chamada Lídia Carolina e tornar realidade aquela atitude nobre que tanto adiamos?

Link do vídeo contando a história dela: Clique para assistir.

Agora, veja como você pode ajudá-la de uma forma interessante e inovadora, doando apenas R$ 5,00, que certamente farão a diferença quando somados às doações das outras pessoas:


É muito simples, no link acima tem tudo explicado. Mesmo que você não tenha interesse nos produtos que serão sorteados, presenteie sua mãe ou namorada, certamente uma delas vai adorar. E se você é uma mocinha feminina, aproveite e participe dos outros sorteios, tem muita coisa legal lá no blog Loucas por Beauty!

Ah, é necessário ter twitter para participar, okeijo? Gente, só abrindo um parênteses, eu detestava twitter com todas as minhas forças e achava uma bobagem sem limites. Mas um dia eu resolvi fazer uma conta para poder participar de umas promoções interessantes que exigiam que eu tivesse um perfil lá e não é que agora acho super legal? E olha só, já ganhei prêmios em dois sorteios desde que abri minha conta há apenas 1 mês e meio! Então, vale a pena, é super rápido e prático. E se meu argumento não te convenceu, nem precisa passar a gostar de twitter. Basta fazer a conta para poder participar do sorteio e fazer a doação, depois abandona seu perfil ou exclui, que não tem problema. O grande objetivo dessa minha postagem é oferecer a vocês uma oportunidade de ajudar alguém que está realmente precisando. Então, vamos lá! Eu já fiz minha doação! =)

Gente, eu realmente gostaria que houvesse um meio mais fácil de doar, porque imagino que todas as regras do sorteio afastarão bastante meus queridos leitores. Fiquei procurando aqui para ver se encontrava, li que havia uma campanha no twitter para arrecadar doações com o intuito de bancar o tratamento da Lídia, mas infelizmente não encontrei outra maneira eficiente que não essa citada acima. Mas vale a pena o esforço, vai. Sim?! *-*

;D

25 abril 2011

Diário dos últimos dias

Nota de sugestão: Coloquem os vídeos do final do texto para carregar enquanto leem minha postagem.

Chegou ao fim o feriado da Semana Santa e posso dizer que foi um dos piores da minha vida. Claro que quando eu estava doente nem devo mencionar, pois todos os dias eram difíceis. Mas agora estou curada, graças a Deus, e resolvi fazer uma viagem, à convite de uma amiga muito querida. É válido mencionar que essa amiga é evangélica, mas o fato de nossas crenças não serem as mesmas em nada atrapalhou nosso mútuo bem querer. Devo dizer que essa pessoa foi muito presente enquanto eu estava enferma e ela não tem nenhuma responsabilidade pelo ocorrido traumático. 

Estando nesse local (uma casa de praia), tive a grata surpresa de conviver com pessoas muito gentis, que me trataram bem, mesmo alguns sabendo que eu não partilhava da mesma religião deles.

Porém, infelizmente, algo muito chato aconteceu. Não vou entrar em detalhes, mas quero usar esse meu espaço para argumentar com palavras sábias tudo que, por educação e bom senso, optei por calar. Já aprendi que temos dois ouvidos e apenas uma boca para falar menos e ouvir mais. Mesmo com algumas alfinetadas que tive de suportar humildemente, para não criar atritos, considero burrice deixar de lado algumas respostas que poderiam ser dadas livremente aqui em meu blog, já que também podem ser úteis a quaisquer outras pessoas que, por ventura, venham a passar o constrangimento que passei. 

Quero ainda salientar que, apenas pelo meu blog é que muitas pessoas descobrem que sou espírita, pois não é algo que saio gritando aos quatro ventos: não vejo necessidade. Entretanto, quando me deparo com uma oportunidade  de contar minha história, do milagre que ocorreu em minha vida, sempre aproveito. Deus tem o completo e total mérito pela minha Cura. Independente de qualquer credo, Deus me curou, acredito piamente que ELE não está interessado se eu frequento igreja X ou Y, ELE se importa com o que se passa em nossos corações, e avalia nossas atitudes e intenções. 

Eu mudei muita coisa em mim, sei que ainda tenho muito mais a mudar e isso vai continuar por um longo tempo, é claro, mas as mudanças mais urgentes eu consegui fazer, e creio que era isso que faltava para eu conseguir me libertar daquela doença terrível que me corroía. E, no entanto, eu não ando tentando convencer ninguém a ser espírita, pelo contrário. Eu vejo beleza em praticamente todas as religiões e percebo o quanto elas são necessárias em nossa sociedade, pregando a solidariedade e afastando os jovens dos descaminhos. Longe de mim querer destruir os templos onde predominam a fé em nosso Criador. Se alguém chega a mim pedindo ajuda, pois está doente e quer se curar assim como eu consegui, eu começo sempre dizendo: faça uma reforma interior, mude hábitos errados, pensamentos nocivos e atitudes tóxicas. Toda cura começa por aí. 

Eu falo para alguém se tornar espírita? Não. 

Se a pessoa não tem fé alguma e quer conhecer um pouco do que acredito, eu indico que leia O Que é o Espiritismo, que é bem breve e introdutório ao Livro dos Espíritos. Se o interesse continuar, o livro seguinte é O Evangelho Segundo o Espiritismo. E depois segue com o Livro dos Médiuns, O Céu e o Inferno, A Gênese e Obras póstumas. Esses são os fundamentais da Codificação Espírita, mas tem outros muito importantes também, que devem ser lidos por todos que pretendam se aprofundar no conhecimento da Terceira Revelação. Mas enfim, o que quero dizer com isso é que não ando por aí querendo converter ninguém. Ninguém vai acreditar em Deus ou deixar de acreditar porque outra pessoa assim o deseja. Claro que existem aqueles seres de espírito mais fraco e influenciável, mas mudar totalmente por causa de bons argumentos acho difícil. 

Argumentos servem para que as pessoas fiquem com seus egos inflados em discussões acaloradas, mas pelo menos comigo, se eu tenho certeza absoluta de alguma coisa, eles entram por um ouvido e saem por outro. Só que eu sei reconhecer quando estou errada, e já o fiz várias vezes. Apenas digo que tenho certeza absoluta quando realmente tenho. E se eu estiver exaltada demais para debater um assunto, prefiro me calar a ter que ser rude, pois detesto tratar mal qualquer criatura que seja. 

Por várias vezes já fui chamada de tola, e sei que muitos sapos que engoli devem ter formado um brejo dentro de mim, mas não me importo. Quando me excedo demais, o pior é ter que aguentar o peso na consciência - e isso é bem mais duro do que suportar a confirmação de que deixei de falar quando poderia ter dado umas boas respostas.

Já enrolei demais apenas para dizer que SIM, eu tenho argumentos que se contrapõem aos de quem pensou que eu fiquei calada porque não sabia o que dizer. E vou ditá-los aqui. E tudo porque me dou o direito de usar meu blog para escrever o que me der vontade. Se alguém se incomodar, não precisa ler até o fim, mas não vou deixar de fazer isso. 

Pois bem, não adianta me dizer que na Bíblia está escrito que morremos apenas uma única vez e por isso o conceito de reencarnação está anulado. Será possível que vocês não aprenderam a interpretar corretamente o que está escrito? E mais, será que vocês são tão descansados que aceitam toda essa tradução, sem ao menos parar para pensar que ela foi manipulada por homens (falhos) ao longo de séculos, sendo retirados trechos e acrescentados outros, com o único propósito de obter privilégios perante a humanidade ignorante que, por não ter acesso a outra versão, aceitava submissamente tudo que se dizia? Céus, isso ocorreu há tantos milênios, os pensamentos se modificaram, e as verdades vieram à tona. 

Mas vamos lá, ainda tenho muito a falar, só que nessa postagem vou responder especialmente a uma alfinetada que recebi nesses poucos dias que passei rodeada por pessoas de todos os níveis evolutivos que se pode imaginar. 

Tal pessoa me ditou o seguinte trecho bíblico:

Hebreus 9.27
"E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo..."

Trata-se de apenas uma frase extraída de uma extensa carta de Paulo aos Hebreus. Paulo escreveu muitas cartas de instrução para organizar o movimento cristão.

Mas alguém pode me dizer em quê isso anula a Reencarnação? Ora, é claro que os homens morrem apenas uma vez em cada vida! O espírito permanece. Portanto, é o seu corpo, o envoltório material, que morre, e não o seu espírito. 

Quando um homem morre, depois disso vem o juízo: Claro, é o juízo da nossa consciência, dos atos cometidos naquela vida. 

Acho muito triste alguém basear a sua crença em um versículo. Será que não se consegue ver o quanto essas passagens ditadas com orgulho inflamado por muitos fanáticos religiosos torna a imagem de Deus um tanto quanto cruel? Como Deus poderia ser justo permitindo a existência de cegos, surdos, aleijados, natimortos etc? Aqueles espíritos serão julgados de que maneira se não tiveram as mesmas condições de evoluir? É irracional ignorar que Jesus falou claramente sobre reencarnação quando disse que era necessário nascer de novo a Nicodemos, deixando-o confuso, pois ainda não tinha capacidade para entender o significado daquelas palavras. E quando ele afirmou que Elias voltou mas não o reconheceram (pois era o mesmo espírito, mas não o mesmo corpo material!).

Eu poderia citar muitas outras passagens, mas não vou me dar ao trabalho. Peço que assistam aos vídeos do dr. Severino Celestino da Silva, um grande estudioso das religiões, que analisou as traduções bíblicas e esclarece muitas dúvidas numa entrevista bastante interessante contida em 3 vídeos no Youtube. Assistam, vale a pena! Fico por aqui, abraço a todos!







20 abril 2011

Nunca nos arrependeremos

Hoje eu abri meu e-mail e encontrei uma mensagem tão linda que resolvi compartilhar com quem passar por aqui. É uma mensagem do Espírito Albino Teixeira, e foi psicografada pelo saudoso Médium Francisco Cândido Xavier:

NUNCA NOS ARREPENDEREMOS

De ceder em questões sem valor essencial;
De guardar paciência em quaisquer lances difíceis;
De usar indulgência para com as faltas do próximo, entendendo que todos temos erros a corrigir;
De ouvir atenciosamente, seja quem for;
De reconhecer que nosso pensamento ou cultura tem suas limitações;
De observar que o nosso tipo de felicidade nem sempre é o tipo de felicidade das pessoas que amamos, competindo-nos, por isso, acatá-las como são, assim como desejamos ser respeitados como somos;
De admitir que os outros não são obrigados a pensar com a nossa cabeça;
De não agir contra a própria consciência, seja antes, durante ou depois das experiências que consideramos menos felizes;
De entregar à bondade de DEUS as aflições e problemas que estejam fora da nossa capacidade de solução;
De servir sempre
Mensagem do Espírito Albino Teixeira, através da psicografia de Fco. Cândido Xavier e consta do livro "Encontro  de Paz" (1973) Editora CEC.
Vale a pena meditar nessas palavras e procurar aplicá-las em nossa vida.

10 abril 2011

Sempre em Frente


Tempo Perdido - Legião Urbana


Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo...

Todos os dias
Antes de dormir
Lembro e esqueço
Como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder...

Nosso suor sagrado
É bem mais belo
Que esse sangue amargo
E tão sério
E Selvagem! Selvagem!
Selvagem!...

Veja o sol
Dessa manhã tão cinza
A tempestade que chega
É da cor dos teus olhos
Castanhos...

Então me abraça forte
E diz mais uma vez
Que já estamos
Distantes de tudo

Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo...

Não tenho medo do escuro
Mas deixe as luzes
Acesas agora

O que foi escondido
É o que se escondeu
E o que foi prometido
Ninguém prometeu
Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens...
Tão Jovens! Tão Jovens!...

05 abril 2011

A todos que sofrem

O que é a morte? Depende do referencial. 

A morte pode ser fuga, salvação, tristeza, libertação, dor, alegria, leveza, escuridão. Tanto para quem morre, quanto para quem vê o outro morrer.

A morte já esteve muito próxima de mim, e eu já quis ser abraçada por ela. Hoje tenho visto a morte envolver cada vez mais e mais pessoas, e a crença na alma imortal é um consolo nessas horas.

-Newton Jr., meu querido, sei que agora suas dores foram aliviadas, e você foi recebido com amor em sua Verdadeira Morada. 

-José, admirei sua luta à distância, e finalmente chegou a hora de descansar. Não, você não perdeu a guerra. Você sobreviveu a ela - e com notável bravura!

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

-Ceiça, continue acreditando, por favor. Jamais desista de lutar por sua vida. Toda dor tem uma razão de ser e a forma como passamos por ela é o que define nosso grau de evolução. Saiba que está sempre em minhas orações, tenho uma enorme admiração por ti!

-Vô, o momento pode ser doloroso, mas é nessas horas que descobrimos o quanto somos amados! E hoje estais vendo o quanto essa enorme família te ama, e não vamos aceitar que desistas de continuar vivo. Claro que não podemos ir contra a vontade do PAI, mas certamente ele não espera que abdiquemos de nossa vida por conta das dificuldades. Lute, que tem um batalhão ao seu lado, uniremos nossas forças e rogaremos ao Senhor que faça o melhor por ti! 

-Sr. Raimundo, não deixe que a tristeza tome conta do seu ser. Quando ela quiser te dominar, encare-a e diga que és muito mais forte que ela! A dor é temporária, mas a lembrança da forma como lutaste contra ela é que irá permanecer. Dê o seu melhor, para ter as melhores recordações!

-Sra. Neide, as oportunidades batem à porta, não as deixe escorrer pelas mãos. Deus te dá a chance de amenizar as dores, acredite, não foi por acaso que nos encontramos! Estou sempre orando por ti, saiba que quando precisar, estou disposta a te ouvir e compartilhar o pouco que sei. Força e Fé, minha amiga!

-Nicole, pequena, quanto sofrimento já enfrentaste em tão pouca idade, não é?! Mas se Deus permitiu que isso acontecesse, é porque ELE viu em ti uma força maior do que nossos olhos materiais poderiam captar - e você está sendo motivo de orgulho para todos que te rodeiam. Continue lutando, querida. Ao longo dessa estrada, muita Luz tem te abençoado. Acredite! Estou sempre orando por ti!

-Gracy, mal te conheço mas já sinto por você um sincero carinho, pois me identifico com todos aqueles que padecem nos leitos das enfermarias. Através da dor, somos capazes de dar grandes saltos em nossa caminhada. E sei que com você não será diferente. Tenha paciência, logo logo tudo isso vai passar. E então terás uma história de vitória para compartilhar com todos!

-Wirla, estou muito feliz com seus avanços! Você nem imagina o quanto fiquei grata a Deus por ter sido um instrumento que te ajudou a chegar onde está chegando. Continue firme e forte, minha amiga! Você é uma luz, uma benção em minha história!

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Tenho fé e acredito profundamente que tudo tem uma razão de ser. Às vezes parece que paramos no tempo e não conseguimos dar um passo a frente. Mas toda lágrima de tristeza se transforma numa graciosa gota de cristal, pois quem sofre com resignação sempre é recompensado!

Àqueles que sofrem, meu sincero voto de saúde, paz e conforto espiritual. Entendam que nenhuma dor é inútil, ela enobrece a Alma. Parece impossível aceitar, principalmente quando somos nós os enfermos. Mas tenham fé, não desistam. Sei que é difícil, sei que tantas vezes a vontade de morrer passa por nossa cabeça... Mas sei também que quando aceitamos nossa condição, e temos paciência e coragem, o sofrimento se torna menos doloroso. E quando ele acaba, sentimos fundo em nosso espírito de que tudo valeu a pena, pois nos tornamos pessoas melhores, que sabemos valorizar muito mais a nossa existência. 

Um grande e forte abraço a todos que passarem por aqui.

NOTA:
Eu não abandonei o blog, só estava precisando de um tempo para digerir tantos acontecimentos impactantes que me ocorreram nos últimos tempos. Estou atualmente respirando novos ares. 
Deus está fazendo um trabalho muito delicado em minha vida, e eu, na minha singela condição de encarnada/limitada, estou aceitando e tentando compreender. Não sei se obterei êxito por enquanto, mas minha luta continua. Graças ao Nosso Amado Pai, já não preciso correr atrás da minha cura, pois ela já se concretizou - e sou infinitamente grata por isso. Agora preciso entender outros aspectos, e sei que as respostas virão. Estou praticando, mais do que nunca, a paciência.

E assim minha vida segue.

25 fevereiro 2011

Eu pensei que podia viver por mim mesma


Eu pensei que podia viver por mim mesmo
Eu pensei que as coisas do mundo
Não iriam me derrubar
O orgulho tomou conta do meu ser
E o pecado devastou o meu viver

Fui embora, disse: Ó Pai, dá-me o que é meu!
Dá-me a parte que me cabe da herança
Fui pro mundo
Gastei tudo
Me restou só o pecado
Hoje eu sei que nada é meu
Tudo é do Pai

(refrão)
Tudo é do Pai
Toda honra e toda glória
É dEle a vitória
Alcançada em minha vida
Tudo é do pai
Se sou fraco e pecador
Bem mais forte é o meu Senhor
Que me cura por amor

01 fevereiro 2011

Mudanças Reais


Tenho feito seguidas postagens sobre as mudanças pelas quais precisei passar até conseguir, de fato, ficar curada. Cheguei a comentar por aqui que a frase que eu mais ouvi ano passado foi: "A Cura está em você!" Até que essas palavras deixassem de ser apenas uma expressão de impacto e se tornassem um objetivo de vida, foram muitas quedas e brigas internas. 

Talvez meus leitores estejam achando o blog um tanto repetitivo, pois as postagens mudam, mas o conteúdo está sempre em torno do mesmo tema. Em relação a isso, tenho algumas considerações a fazer.

Poucos dias atrás, fiz uma profunda análise das reais mudanças que aconteceram em mim. Vi fotos e reli escritos antigos. Inclusive aqui no blog existem muitos textos e crônicas que utilizei para fazer essa análise. Com tudo isso, constatei  que meu jeito de escrever, minhas perspectivas de futuro, meu modo de vestir e a importância que eu dava a determinadas banalidades mudaram bastante. Foi um exercício bem proveitoso.

Quando falo das minhas mudanças parece que é algo muito subjetivo. Resolvi colocar essa foto abaixo porque muitos que me leem atualmente não chegaram a conhecer meu antigo modo de vestir. Claro que mudar o estilo não parece ser grande coisa, os adolescentes estão sempre fazendo isso. Mas o fato é que as transformações reais, que ocorrem de dentro pra fora, quase sempre são visíveis no exterior. É claro que estou falando de mudanças radicais - como no meu caso.
Já não me reconheço mais nessa imagem.
Minha vida não tinha nada de extraordinário, até que eu adoeci e, como nunca antes na história desse blog, comecei a receber numerosos comentários e mensagens de pessoas preocupadas com aquela garota que estava com câncer.

Esse blog sempre teve a proposta de ser meu reflexo. Quando eu estava triste, era sobre minha tristeza que eu escrevia. Durante muitos meses ele foi o espelho da minha dor, postagens realmente maçantes, com descrições minuciosas das cirurgias e quimioterapias. Hoje em dia eu não tenho a menor vontade de reler aquelas postagens, pois elas são tão detalhadas que é difícil eu não me envolver numa atmosfera que exala o odor inconfundível da doença. E isso é passado. Posso encher meu coração de alegria e repetir isso incontáveis vezes: é passado. Estou curada!

Então, pensei que compartilhando meu milagre seria possível tocar o coração das pessoas e fazê-las enxergar a Grande Força que existe em cada um de nós.

O efeito foi o seguinte:
  1. Alguns entraram em contato e disseram que também gostariam de ter uma vida melhor;
  2. Outros acharam minhas palavras muito bonitas, mas não quiseram saber de aplicá-las em suas respectivas vidas;
  3. Uns deixaram comentários sobre qualquer coisa, mas nada sobre o que eu escrevia;
  4. Ainda houve aqueles que preferiram não comentar, pois de fato eu toquei em suas feridas.
O que quero dizer com esses dados está muito claro. Acabou a novela da menina com câncer, que precisava de consolo e tapinha nas costas, e agora esse espaço está perdendo a graça, pois está sério demais. 

Dia desses perguntei sobre a Transição Planetária, pois tenho aprendido muito sobre esse e outros assuntos e quero dividir com vocês o meu aprendizado. E, além disso, quero alertar a todos, esse espaço tem que ser útil, um canal onde apenas Verdades sejam ditas. Mesmo que elas sejam duras.

Um dia a Espiritualidade me disse: "use esse espaço para contar sobre seu milagre", e eu imaginava que seriam umas duas, três postagens e pronto. Que nada! Quando comecei a escrever, fui lembrando de mais coisas e me dei conta de que ainda há muito a ser compartilhado, e pelo jeito esse assunto não vai se esgotar tão facilmente.

Sempre quando escrevo me sinto em contato com Algo Superior, minhas mãos são guiadas de tal forma que sempre sei quando estou tomando o rumo certo ou quando vai ser necessário apagar alguns parágrafos e refazê-los. Eu releio e vejo se consegui atingir meu objetivo com as palavras escolhidas, os exemplos utilizados e mesmo a imagem que seleciono para ilustrar o texto.  

Eu sei que sou perfeccionista, mas não é um capricho, uma exigência irracional. As coisas das quais estou falando são realmente sérias. Elas não servem apenas para mim ou para quem está doente, precisando urgentemente de ajuda. Elas são destinadas a todos. A forma como cada um as recebe é algo que não está sob minha responsabilidade.

Eu semeio, mas onde as sementes irão cair é outra história. Em todo caso, faço minhas as palavras do querido escritor Pietro Ubaldi: "A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória."

Muita Paz e Luz, meus amigos! Até a próxima!

29 janeiro 2011

Não sabe comentar em meu blog?

Caros leitores, essa é uma postagem extraordinária que tem apenas um objetivo: ensinar a deixar comentários aqui no blog. Algumas pessoas me informaram que não estavam conseguindo comentar então vou dar uma ajuda.

Isso é para os leigos:

  • Após ler, vá ao final da postagem e clique em comentários.


  • Deixe seu recado no campo destinado a isso.
  • Em seguida, no campo "selecionar perfil", escolha o que mais se adequa ao seu caso. Digamos que você não tenha uma conta do Google e nem um blog, então o indicado é selecionar a opção "Nome/URL" - conforme demonstra a figura:


  • Daí, basta digitar seu nome. Não tem problema deixar o campo URL em branco:

  • Feito isso, você ainda tem a opção de editar alguma coisa. Caso esteja tudo ok, basta clicar em "Postar comentário"


  • Logo vai aparecer a confirmação de que seu comentário foi publicado. No formulário do meu blog não tem o sistema de verificação de palavras, então a publicação é automática. Para quem fez o comentário através de conta de e-mail, é interessante clicar na opção "Inscrever-se por e-mail".  
  • Daí a pessoa passará a receber em seu e-mail os comentários daquela postagem e prováveis respostas que eu venha a dar através desse recurso (que é perfeitamente reversível - basta olhar na figura o link "Cancelar inscrição")
  • Tudo feito, confira no blog seu comentário, com a data e a hora da publicação:


Então, agora vou correndo apagar esse comentário do Fulano! Hehe. Foi só pra ilustrar. Acredito que tenha ficado bem clara a explicação, mas caso ainda surjam dúvidas, me escrevam que eu terei o maior prazer em ajudar! 

Se aprenderam direitinho, coloquem em prática! =P

Até!

26 janeiro 2011

Pergunta do dia


Amados leitores,
Estou fazendo uma pesquisa: O que vocês sabem sobre a Transição Planetária?

Peço que me respondam nos comentários.

Grata! =)

19 janeiro 2011

Não desista


Só se perde no Labirinto da Vida aquele que não se guia pela Luz.

Olá, estimados amigos e leitores!

Hoje irei falar sobre a desistência, assunto que já iniciei na postagem anterior e agora irei aprofundar. 

Desistir significa não querer continuar. É um verbo que carrega consigo o peso de ser o antônimo de prosseguir. É um ato que pode demonstrar desde fraqueza até comodismo. Quero me ater ao sentido íntimo dessa palavra: parar de tentar.

Comentei com vocês que quase desisti de tudo e abri mão de efetuar mudanças drásticas em meu ser porque meu orgulho era maior que minha razão. Mas quais são as principais motivações que levam o indivíduo à renúncia de um caminho que foi escolhido por ele em outro momento?

Desde que comecei a fazer meus depoimentos aqui no blog, algumas pessoas se manifestaram, me escreveram e-mails e pediram ajuda.  No entanto, desde o princípio eu relatei a importância da reforma interior. Não basta pedir a cura e esperar que a saúde caia do céu. É mais do que essencial que façamos nossa parte. E a nossa parte, qual é? Mudar. 

A princípio, é natural que as pessoas aceitem com facilidade todas as mudanças que terão de fazer. Dizem que estão dispostas a efetuar a reforma íntima, deixando para trás velhos hábitos e atitudes. Mas quando essa transformação começa a tomar forma, o sapato aperta. 

Deixar de fazer aquilo que tanto gostava, ter disciplina, organizar horários, reservar um tempo para leituras importantes, usar a razão e deixar a emoção de lado... Não é fácil. 

Fácil mesmo é fincar raízes na zona de conforto. O problema é quando a zona de conforto começa a afundar, e aí temos duas alternativas: ou mudamos ou afundamos, junto com todas as velharias que pensávamos salvaguardar.   

Pare por um segundo e reflita. O que você tem feito para evoluir?

As pessoas que se dispuseram a mudar acabaram se distanciando ou desistindo. Algumas não quiseram encarar as verdades (porque muitas vezes a verdade dói), outras, por sua vez, preferiram dar prioridade a outros assuntos. E sempre vão surgir mil e uma desculpas para tentar justificar essa atitude. Mas o fato é que nem sempre poderemos adiar o momento da grande mudança. Achamos, erroneamente, que tudo está sob nosso controle. Porém, existe algo muito maior agindo sobre nós. E quando a correnteza vier, ela vai arrastar todos aqueles que não estiverem firmes. 

E então, você está pronto para encarar os tornados e as tsunamis que estão por vir? Ou ainda pensa que sua zona de conforto é confiável? 

Honestamente, falo por mim, não vale a pena se apegar a bobagens que nada mais são do que perda de tempo. Se eu pudesse contabilizar quantas horas da minha vida eu gastei jogando video-game, vocês ficariam espantados. E quantas vezes eu ignorei minha voz interior, que sempre me alertava para não fazer isso ou aquilo, e mesmo assim eu fazia, para depois vir o arrependimento. Por que será que gostamos tanto de desprezar nossa consciência? Isso nos deixa mal e mesmo assim continuamos fazendo tudo errado.

Essa voz interior não está ali por acaso. Se ela existe, é por algum motivo muito especial. Não devemos pensar que somos nós os antiquados, os caretas, porque deixamos de fazer coisas que todo mundo faz. Seguir a maioria quase sempre é sinal de fraqueza, e não o contrário. 

Se a multidão grita para que Jesus seja crucificado, você vai fazer o mesmo?

Você renuncia à sua evolução em troca de quê? 

Será que teremos que sofrer com uma doença terminal para realmente pensarmos na mudança? 

"Os problemas existem para que possamos aprender com eles, em vez de nos posicionarmos como vítimas."*

Finalizo essa postagem com mais essa pergunta:

O que é mais importante do que ser uma pessoa de bem, com paz no coração e a certeza de estar num caminho de Luz?
__________

*Autor desconhecido (se você tiver conhecimento da autoria dessa frase, me comunique.)

09 janeiro 2011

Pedras na estrada


Olá meus queridos!

Com a primeira postagem de 2011 quero tornar público meu sentimento de gratidão e alegria. Passei as duas últimas viradas de ano com um câncer me corroendo e, dessa vez, pude ouvir os fogos de artifício e sentir que tinha algo realmente grande a comemorar. 

Desde quando comecei a fazer uma análise do meu comportamento e me dispus a mudar, abrir mão de antigas manias, alterar hábitos e formas de pensar, não tardou aos resultados começarem a aparecer. Eu me dediquei inteiramente ao tratamento de cura espiritual, e embora muitas vezes me distraísse com bobagens e ainda sentisse falta de outras coisas que antes me satisfaziam, eu mantive o foco. Em maio, numa consulta médica, meu oncologista afirmou que os tumores haviam estacionado. Isso já foi uma vitória, haja visto que antes os tumores continuavam crescendo mesmo com a quimioterapia.

Eu sentia em meu íntimo que estava no caminho certo. Aquelas mudanças pelas quais eu estava passando eram mais do que necessárias. Na verdade, acredito que quase todo mundo deve sentir esse desejo profundo de mudar. Sempre tem alguma coisa que fazemos mas sabemos que não devemos. Dizemos a nós mesmos: "preciso parar de fazer isso" ou "não me sinto bem quando ajo assim."
No entanto, depois que passa a culpa, lá estamos nós, pisando na lama novamente. Por quê? Porque mudar não é nada fácil.

Como prometi, vou contar as dificuldades que enfrentei na minha primeira viagem à Santa Catarina. 

Primeiro foi a descoberta do quanto eu era dependente. Não conseguia pensar por mim mesma, sentia falta da minha mãe e da minha irmã para tomar qualquer decisão. Depois, fui percebendo que era muito rebelde, desobediente, e nem me dava conta disso - o que era pior. 

Nunca achei que eu fosse rebelde, muito pelo contrário. Me considerava uma garota tranquila, até que minhas atitudes me desmentiram. Eu questionava tudo que me diziam, batia de frente com as opiniões contrárias às minhas. De algum modo, me sentia cheia de razão, dona da verdade. Foi uma surpresa perceber o quanto eu era mimada. 

Comecei a fazer uma revisão dos motivos que me levavam a agir de modo tão imaturo. O mais difícil foi vencer o orgulho. Até hoje ainda preciso me vigiar para não cair nos velhos erros. 

Acabar com o orgulho é uma tarefa tão difícil quanto retirar a carne da boca do leão. Só o leão pode fazer isso. O que equivale a dizer que só nós podemos modificar a nós mesmos. Ninguém mais.

Quando fui vendo que eu não sabia nada, que tinha que me esforçar muito mais para me manter no caminho, pensei em desistir. Sim, meus caros, esse pensamento passou pela minha cabeça. 

Mas daí veio o medo de voltar a ficar doente e tive que ser racional. Depois, fui relembrando todo o meu passado e cheguei à conclusão de que era burrice me apegar a ele. Eu estava sofrendo o drama, puro e simples, do ego ferido. 

Então eu precisei tomar uma grande decisão: arrumar minhas malas e retomar minha antiga vida ou vencer o orgulho e me manter na trilha, trilha essa que me estava trazendo a cura.

Deixei a emoção de lado e fui conversar com a Dirce e o Roberto (o casal que me acolheu). Pedi desculpas por estar sendo tão imatura e confessei minhas fraquezas. Foi muito difícil pronunciar cada palavra. Meus olhos estavam inundados, e eu mal conseguia encará-los. 

Mas depois que eu terminei, veio a leveza em minha alma. Me senti liberta daquelas correntes que eu mesma coloquei.

Foi um passo enorme pra mim. 

A todos que me leem deixo o convite para a reforma interior.
Quem quiser ajuda, deixe um comentário aqui no blog com um contato para eu retornar ou mande um e-mail (mara.metal @ gmail . com - quando me escrever, elimine o espaçamento. Tive de colocar assim para evitar spam).

Vamos fazer de 2011 um ano de muitas conquistas e crescimento espiritual.

Grande abraço e até a próxima!