09 janeiro 2011

Pedras na estrada


Olá meus queridos!

Com a primeira postagem de 2011 quero tornar público meu sentimento de gratidão e alegria. Passei as duas últimas viradas de ano com um câncer me corroendo e, dessa vez, pude ouvir os fogos de artifício e sentir que tinha algo realmente grande a comemorar. 

Desde quando comecei a fazer uma análise do meu comportamento e me dispus a mudar, abrir mão de antigas manias, alterar hábitos e formas de pensar, não tardou aos resultados começarem a aparecer. Eu me dediquei inteiramente ao tratamento de cura espiritual, e embora muitas vezes me distraísse com bobagens e ainda sentisse falta de outras coisas que antes me satisfaziam, eu mantive o foco. Em maio, numa consulta médica, meu oncologista afirmou que os tumores haviam estacionado. Isso já foi uma vitória, haja visto que antes os tumores continuavam crescendo mesmo com a quimioterapia.

Eu sentia em meu íntimo que estava no caminho certo. Aquelas mudanças pelas quais eu estava passando eram mais do que necessárias. Na verdade, acredito que quase todo mundo deve sentir esse desejo profundo de mudar. Sempre tem alguma coisa que fazemos mas sabemos que não devemos. Dizemos a nós mesmos: "preciso parar de fazer isso" ou "não me sinto bem quando ajo assim."
No entanto, depois que passa a culpa, lá estamos nós, pisando na lama novamente. Por quê? Porque mudar não é nada fácil.

Como prometi, vou contar as dificuldades que enfrentei na minha primeira viagem à Santa Catarina. 

Primeiro foi a descoberta do quanto eu era dependente. Não conseguia pensar por mim mesma, sentia falta da minha mãe e da minha irmã para tomar qualquer decisão. Depois, fui percebendo que era muito rebelde, desobediente, e nem me dava conta disso - o que era pior. 

Nunca achei que eu fosse rebelde, muito pelo contrário. Me considerava uma garota tranquila, até que minhas atitudes me desmentiram. Eu questionava tudo que me diziam, batia de frente com as opiniões contrárias às minhas. De algum modo, me sentia cheia de razão, dona da verdade. Foi uma surpresa perceber o quanto eu era mimada. 

Comecei a fazer uma revisão dos motivos que me levavam a agir de modo tão imaturo. O mais difícil foi vencer o orgulho. Até hoje ainda preciso me vigiar para não cair nos velhos erros. 

Acabar com o orgulho é uma tarefa tão difícil quanto retirar a carne da boca do leão. Só o leão pode fazer isso. O que equivale a dizer que só nós podemos modificar a nós mesmos. Ninguém mais.

Quando fui vendo que eu não sabia nada, que tinha que me esforçar muito mais para me manter no caminho, pensei em desistir. Sim, meus caros, esse pensamento passou pela minha cabeça. 

Mas daí veio o medo de voltar a ficar doente e tive que ser racional. Depois, fui relembrando todo o meu passado e cheguei à conclusão de que era burrice me apegar a ele. Eu estava sofrendo o drama, puro e simples, do ego ferido. 

Então eu precisei tomar uma grande decisão: arrumar minhas malas e retomar minha antiga vida ou vencer o orgulho e me manter na trilha, trilha essa que me estava trazendo a cura.

Deixei a emoção de lado e fui conversar com a Dirce e o Roberto (o casal que me acolheu). Pedi desculpas por estar sendo tão imatura e confessei minhas fraquezas. Foi muito difícil pronunciar cada palavra. Meus olhos estavam inundados, e eu mal conseguia encará-los. 

Mas depois que eu terminei, veio a leveza em minha alma. Me senti liberta daquelas correntes que eu mesma coloquei.

Foi um passo enorme pra mim. 

A todos que me leem deixo o convite para a reforma interior.
Quem quiser ajuda, deixe um comentário aqui no blog com um contato para eu retornar ou mande um e-mail (mara.metal @ gmail . com - quando me escrever, elimine o espaçamento. Tive de colocar assim para evitar spam).

Vamos fazer de 2011 um ano de muitas conquistas e crescimento espiritual.

Grande abraço e até a próxima!

3 comentários:

Mônica disse...

Que orgulho de vc amiga!
Cada vez que leio algo assim, penso o quanto deve ter sido difícil pra vc, mas penso tbm nos benefícios q isso te trouxe e acredito ainda mais que a sua cura veio da sua fé e da sua força.
Beijos, te amo!

Elson disse...

Realmente amiga precisa ser muito corajosa ao ponto de rever os seus pontos fracos, as vezes nem notamos esses pontos, mas o importante é que voce busca para se tornar para si mesma ser uma pessoa melhor, para mim isso meio que já acontece pois acho que Deus colocou minha namorada na minha vida com esse tipo de propósito tambem, dá para notar que ela é um espírito mais evoluído, só comparar a vida que ela levou até agora, em comparação com o resto da familia, se quiser mais tarde conto a historia toda, mas realmente ela tem feito para que eu veja as coisas com outros olhos e sinceramente é a pessoa que mais admiro nesse mundo se for um terço da pessoa que ela já estarei bem mais feliz!

Beijos minha amiga!

Adjetivador disse...

Meu Lírio Raro Bendito,

Minha alegria exulta em felicidade pela oportunidade de poder trocar palavras com você! Desejo que a sintonia da vibração positiva esteja sempre a crescer dentro e entre nós e que juntos possamos espalhar nossa luz do bem por onde passarmos e orarmos para que elas alcancem os corações dos necessitados, ..."para a libertação dos vales negros da incompreensão...".

Um abraço no coração!