16 agosto 2011

Convite para Autorreflexão

Hoje eu tive a grata surpresa de encontrar essa entrevista no You Tube e, de tão especial que se mostrou pra mim, resolvi compartilhar com vocês.

Espero sinceramente que escutem com atenção às sábias palavras do professor Raul Teixeira e façam uso delas em vossas vidas:



Que tal fazer um autorreflexão? Eis uma excelente oportunidade!

Tenham uma semana iluminada e cheia de Amor!

07 agosto 2011

A vida me sorri no horizonte

Estou com a sensação de que preciso ser mais objetiva por aqui. É, não dá para continuar adiando o momento...

Meus queridos amigos e leitores, tenho uma novidade (que já não é mais tão novidade assim):
Estou de volta à Fortaleza.
 

Antes que me perguntem, eu não declarei o fato antes porque estava indecisa se voltava para Floripa ou dava uma segunda chance à Terrinha. x)
Portanto, como aprendi que na dúvida o melhor é calar, preferi aguardar o rumo dos acontecimentos.

Depois de alguns meses ponderando, me dei conta de que não estava exatamente pronta para ficar longe da minha família. Enquanto morava em Santa Catarina, a distância estava me destruindo aos poucos, a saudade era cruel e eu nem podia ver fotos dos meus familiares que caía em prantos. 

Hoje eu entendo que foi uma decisão radical mudar de vez para Floripa, pois eu vim de um período deveras conturbado no qual foi justamente o apego familiar que me sustentou. Por quase dois anos eu fiquei dormindo no quarto dos meus pais, sendo cuidada dia e noite por minha mãe, que sempre me acompanhou em cada cirurgia e sessão de quimioterapia. O vínculo se fortificou de tal modo que, sem dúvida, não seria do dia para a noite que iria se romper.

Por outro lado, encontrei uma nova família no Sul, que me acolheu como a uma filha (já falei isso várias vezes, eu sei, mas nunca é demais enfatizar) e tenho consciência de que o tempo seria mais do que capaz de me manter com eles. Acontece que eu não fui forte o bastante: a saudade me venceu.

Não foi fácil, lhes asseguro.

Virar noites chorando foi um hábito que adquiri, porque se tratava de uma escolha que imediatamente gerava uma renúncia gigantesca... Não se pode ter tudo, mas é preciso saber lidar com o que se tem, e fazer o melhor com isso.

Se eu pudesse moldar a vida, certamente escolheria levar minha família para Florianópolis, mas essa é uma hipótese que, na prática, não passa de um sonho distante. Diante disso, tive de tomar uma decisão e agora a comunico oficialmente: estou de volta.

Ainda não sinto que Fortaleza será o lugar onde darei meu último suspiro, e talvez eu nunca sinta isso. Mas, por ora, é aqui que vou ficar.

Devo dizer que tive uma ajuda mais do que essencial nessa busca por uma resposta que me trouxesse paz ao coração: DEUS.

Recorri incontáveis vezes ao meu Criador, pedindo auxílio e sabedoria. Apesar de estar no meio da tormenta, cheia de dúvidas e incertezas, foi ELE quem me amparou e embalou meu sono, depositando em meu Espírito a intuição de que tudo ficaria bem. 

Uma nova etapa se anuncia, e tudo que aprendi será meu manual de sobrevivência na Selva. Não tenho mais um Câncer batendo à porta, de braço dado com a Morte. Agora tenho a Vida, deslumbrante, sorrindo para mim no horizonte - e tudo que Ela espera é que eu escolha as melhores trilhas para atingir a plenitude. =)