18 janeiro 2012

Ventos da mudança


É tempo de mudar. É tempo de crescer, de se movimentar.
Chega de se enganar, de fazer promessas que já nascem quebradas. 
É tempo de planejar o possível e deixar nas mãos da Vida o que não está ao nosso alcance. São pequenas vitórias, dia após dia. E a cada amanhecer, sempre haverá a chance de fazer tudo diferente, de colocar em prática aquelas atitudes que estamos adiando há sabe-se lá quantas eras. É hora de jogar fora os velhos e nocivos hábitos; é hora de se reciclar, de se transformar de verdade.

É tempo de parar de colocar a culpa em qualquer coisa que não em você, pois só você é responsável pelo que és. Pedras sempre existirão, mas nunca ninguém disse que você não poderia removê-las do caminho. Acredite que você pode tornar realidade tudo aquilo que deseja, se tantos outros conseguem, por que você não haveria de conseguir? 


É tempo de usar mais do seu potencial, pare de se conformar com o mínimo, com migalhas medíocres. Você pode ter mais. Você poder ser mais.
Faça planos palpáveis, mas não fique apenas nisso. Um plano não é nada sem uma execução. E uma ação sem planejamento tende a ser totalmente desordenada. Procure o equilíbrio: você sabe que é possível e já o vivenciou, não é verdade? Acontece que você perdeu o mapa, e agora terá de fazer essa rota por si mesmo, seguindo sua intuição. 

Não desista! Querer mudar vai fazer mil forças se voltarem contra você. Forças essas que se comprazem em te ver desanimado, levando uma vidinha mediana. Mas não aceite essas interferências, elas só ganham espaço quando você permite. Seja mais forte. Procure forças na Natureza, na música, na arte, nos livros, nos exemplos maravilhosos que a Vida nos deixou. 


Repito: nunca se deixe levar por aquela voz que te impede de agir diferente, que te faz adoecer, perder as forças. Ela está agonizando com suas mudanças, então irá usar todas as armas para te derrubar. Mas entenda: ela se alimenta do seu mal. Se você está bem, deixa de fornecer-lhe suprimentos, então ela sucumbe - ou procura outra vítima, que é o mais provável, já que a Terra está cheia de pessoas assim, completamente submissas às suas próprias fraquezas.

Se você vencer as primeiras batalhas, a guerra se tornará mais leve. Não digo que a guerra terá fim, pois o inimigo ficará sempre à espreita, sem nada a perder, esperando que você baixe a guarda. Mas aí o acesso a você já será mais tortuoso, pois uma muralha de coragem se erguerá ao seu redor, te deixando com mais tempo para pensar e reagir. Porém, esse distanciamento só será possível se você se esforçar, se tiver vontade de evoluir. De nada adianta uma legião de conselheiros te socorrendo, se você se nega a ouvi-los. No fim das contas, é você quem decide qual será a estratégia. 

Ou você se mantém como está, arrependendo-se sempre, antes de dormir, de ter a vida miserável que tem; ou resolve mudar, dar um passo maior dessa vez, um passo seguro e definitivo, que te dará, sempre, boas noites de sono. 

A escolha é sua: mude. Só assim você será verdadeiramente livre.

Lembre-se de que "uma viagem de mil léguas começa sempre com o primeiro passo."

3 comentários:

Thiago N. Raulino disse...

Oi Mara!!! Agradeço-te por esta postagem, pois é exatamente o que eu estou passando agora! Obrigado por este incentivo, ele é necessário para muitos que querem melhorar, mas tem medo de dar o primeiro passo!
Como você disse, ele é difícil, mas gratificante!
Boa sorte a todos que quiserem mudar, pois o caminho é longa e difícil como uma escalada, mas, a cada passo, mais puro é o ar e mais belo é o horizonte!!!

Dirce e Roberto disse...

"Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no seu próprio interior."
Dalai Lama

I Venti Del Cuore! disse...

Lindo texto...