20 maio 2013

Nos encontraremos de novo

Aonde suas escolhas o levarão?
Não faz muito tempo que eu tomei conhecimento do desencarne de uma amiga. Nos conhecemos enquanto fazíamos tratamento no Instituto do Câncer (ICC); ela era uma pessoa simples, carinhosa e chegou a vir em minha casa uma vez, quando eu já tinha terminado meu último ciclo de quimioterapia. 

Ela teve uma longa caminhada na luta contra o câncer de mama e, apesar de eu ter lhe mostrado a alternativa do tratamento espiritual, ela não conseguiu se adaptar. 

Quando eu estava no ICC, reencontrei um amigo dos tempos do Ensino Médio, ele travava uma guerra contra um linfoma no mediastino, descoberto tardiamente. Em 2011 ele partiu para o plano espiritual.

Minha estadia pelo ICC me fez conhecer pessoas muito especiais. Seguindo o curso da vida, eu também presenciei a partida de muitas outras.

Refletindo sobre o retorno dos espíritos ao seu verdadeiro lar e também sobre a chegada de novos habitantes à Terra (perceberam como a taxa de natalidade aumentou por aqui?), me dei conta da maravilha que aconteceu comigo. 

É natural que, com o tempo, esqueçamos os dias difíceis pelos quais passamos. Afinal, essa é uma dádiva que o tempo proporciona: amenizar o peso da dor. Porém, os motivos pelos quais sofremos no passado não deveriam ser esquecidos também. 

Tem dias nos quais nem lembro que estive à beira da morte. É claro que minhas cicatrizes não me deixam esquecer do câncer - e sou grata por isso -, mas tudo que passei em virtude da doença e o milagre da minha cura nem sempre ficam tão vívidos em minha memória. 

Quando alguém toca no assunto, tudo me vem à tona, e sempre tenho muito orgulho de contar minha história. Mas foi preciso tomar conhecimento do desencarne de uma pessoa querida para eu reforçar minha gratidão por ter sobrevivido. 

O que passei não foi algo banal. Parece que já estou na minha terceira vida, mesmo numa única encarnação. Eu sobrevivi, quando tantos caíram do tabuleiro desse jogo cruel em que estamos. Eu ainda tenho muito pela frente, e sei que meus amigos estão lá no Astral, torcendo para que eu continue firme e forte nessa estrada. 

Obrigada por terem me dado a honra de conviver com vocês e por terem sido resignados diante da dor. Não tenho a menor dúvida de que estão bem amparados por nossos irmãos espirituais. Um dia nos encontraremos e eu quero dar bons motivos para vocês terem orgulho de mim, como eu tenho de vocês.



2 comentários:

Espíritos Amigos disse...

Sabemos que neste mundo existem inúmeras injustiças, mas não existem injustiçados. Certamente os que partiram enfrentando a doença cumpriram com suas provas. Você, recebeu mais uma oportunidade de fazer as coisas certas, nesta vida que te toca viver. Faça sempre por merecer.
Te amamos

Maraysa Carvalho disse...

Obrigada pelas palavras, meus queridos.
Eu também amo vocês!!
Saudades! :*