Minha história


Olá! Tenho uma história para contar. Você tem tempo para ler?

Breve Biografia
Nasci no Ceará, cresci em São Paulo e, no início da adolescência, voltei a morar no Ceará.
Aqui estudei bastante, quase terminei dois cursos de língua estrangeira (francês e inglês) e ingressei na faculdade (Publicidade e Propaganda).

Eu costumava estar sempre apressada. Indo e vindo dos cursos, andando de ônibus, dormindo pouco.
Não tinha um plano exato para o futuro, já tinha pensado em seguir carreira acadêmica, ser diplomata, professora, mas meus planos nunca duravam tempo suficiente para se tornarem metas. Eu só tinha certeza de uma coisa: precisava estudar muito para ser alguém na vida.

Porém, embora eu pensasse que não podia parar, algo que estava além do meu controle me fez dar stop em tudo que eu vinha fazendo.

Câncer. Essa palavra teve seu significado transformado. Deixou de ser apenas uma manchete nos jornais ou tema de filmes, novelas e livros. Essa palavra passou a fazer parte de mim, das minhas postagens aqui no blog, das minhas conversas. 

Mas vou contar como tudo começou:

Em meados de novembro de 2008, minha barriga começou a crescer de modo acelerado, me deixando com o aspecto de uma grávida com 9 meses de gestação. Em exatos 15 dias minhas roupas já não me cabiam mais, e eu nem tinha coragem de sair de casa. As provas finais estavam se aproximando, e eu não conseguia parar um instante para estudar. Comecei a frequentar consultórios médicos em busca de respostas. Foram muitas idas e vindas, até que ficou marcada a data da cirurgia que iria retirar a "massa" de tamanho avantajado que havia se formado em minha região pélvica.

No dia 08 de dezembro, fui submetida à histerectomia total (remoção do útero e ovários). Não me abalei tanto com a ideia de ter me tornado estéril, pois a adoção é um ato de amor tão bonito (ou até mais) quanto a maternidade biológica. Após a biópsia, não restaram mais dúvidas. Eu estava com tumores malignos e precisaria de quimioterapia.

Fiz três ciclos de quimioterapia no ICC (Instituto do Câncer do Ceará), um hospital de referência na área da oncologia, em todo o norte e nordeste do país.

Infelizmente, o tratamento não funcionou. Os resquícios dos tumores que deveriam ter sido exterminados com as sessões de quimioterapia conseguiram resistir e ainda se multiplicar, atingido meu fígado, a parte interna da região umbilical e a cúpula diafragmática (próxima ao pulmão). Resultado: em julho de 2009 tive de fazer uma nova cirurgia. Dessa vez foi bem complicado, tive hemorragia, precisei tomar bolsas de sangue e, no dia posterior, fui operada mais uma vez, em regime de urgência.

Dessa vez, eu pensava que não sairia viva da sala de cirurgia. Acabei acordando no meio da operação, foi uma experiência indescritível mas, por um motivo muito especial que eu não era capaz de compreender, acabei sobrevivendo.

Em novembro de 2009 comecei um novo tratamento. Foram 4 ciclos, bem mais pesados. No entanto, os tumores não tinham reduções significativas.

Em 2010, quando as opções médicas tinham se esgotado, Deus me atendeu. Em abril daquele ano comecei a fazer um tratamento espiritual, a Dirce e o Roberto (grandes amigos de Santa Catarina) foram o instrumento utilizado por Deus para me ajudar. A grande lição aprendida nessa etapa foi que a cura está em mim.

Em maio os exames já demonstraram que os tumores tinham estacionado. Desde então não tomei mais nenhum medicamento tradicional, meu oncologista adotou a postura da observação vigilante. A cada novo exame, boas surpresas. Em setembro viajei à Santa Catarina e intensifiquei a cura espiritual (acompanhada de uma reforma íntima: modificação de atitudes e pensamentos).

Em novembro voltei à Fortaleza e fiz novas tomografias. Meu médico ficou surpreso, pois todos os tumores se calcificaram, o que significa dizer que meu organismo os absorveu e os "petrificou". Para ser mais objetiva: me curei!

Fui morar em Florianópolis com minha nova família - Dirce e Roberto. Fiquei na Ilha da Magia por um período não tão longo como eu previa, mas os planos de Deus são assim, só depois que o tempo passa é que conseguimos ter a dimensão do todo. Agora estou de volta, só que muita coisa mudou: tenho novas perspectivas, novos sonhos e uma nova maneira de enxergar a vida ao meu redor.

Antes minha luta era para viver, agora é para evoluir e semear o amor onde quer que eu esteja.

Ah, só pra constar, já perdi a conta de quantas vezes editei essa página! E, na real, espero continuar fazendo ajustes, pois minha vida, graças a Deus, não estagnou. ;)

Sinta-se à vontade para me escrever e comentar o que tiver vontade. Já fiz amigos verdadeiros através deste blog e o grande objetivo é esse: compartilharmos boas histórias!

Paz e Luz a todos!